Escolha é uma homenagem ao papa polonês João Paulo 2º, criador da JMJ. Mais de 3 milhões viram Missa do Envio

O papa Francisco anunciou na manhã deste domingo, que a cidade de Cracóvia, na Polônia, será a sede da próxima Jornada Mundial da Juventude (JMJ), em 2016. A escolha é uma homenagem ao papa polonês João Paulo 2º, criador da Jornada. A realização do encontro católico em Cracóvia também reforça o processo de canonização de João Paulo 2º, que foi bispo na cidade.

Saiba tudo sobre a Jornada Mundial da Juventude
"Jovens são os protagonistas da mudança", diz papa para 3 milhões
Mais: Fazer de Francisco um inimigo é inútil ao movimento gay
Veja como foi o último percurso de papamóvel em Copacabana:

Segundo o porta-voz do Vaticano, padre Frederico Lombardi, mais de três milhões de pessoas participaram da celebração da Missa do Envio, último evento público do papa na JMJ. O cálculo é de organizadores do evento.

Ao se despedir dos jovens que lotaram a Praia de Copacabana, o papa Francisco voltou a pedir coragem e generosidade, agradeceu pela acolhida e disse que levaria cada um em seu coração. "Nunca tenham medo de ser generosos com Cristo, vale a pena sair e ir com coragem e generosidade", disse.

Veja fotos do último dia da Jornada Mundial da Juventude

O casal Slawek, de 37 anos, e Kasia Jodynsky, 32, comemorou o anúncio do papa. Os dois são frequentadores assíduos do evento e estiveram nas quarto últimas edições. "Nós inclusive nos conhecemos durante a jornada em Sidney, em 2008, e nos casamos logo depois", contou Kasia.

Desta vez, eles vieram em um grupo com cerca de 150 poloneses de Gdanks, cidade localizada no norte do país. "Todos ficamos muito felizes ao escutar o anúncio do papa. Vai ser mais uma jornada que não perderemos", disse Slawek.

Presidentes viram Missa de Envio: Dilma ao lado de Cristina Kirchner e Evo Morales
AP
Presidentes viram Missa de Envio: Dilma ao lado de Cristina Kirchner e Evo Morales

"Não tenham medo"

A homilia do papa emocionou fiéis que acompanhavam a celebração da Missa do Envio. Durante sua fala, o papa reforçou o lema da JMJ e do ato missionário que é "ide e fazei discípulos".

"A experiência deste encontro não pode ficar trancafiada na vida de vocês ou no pequeno grupo da paróquia, do movimento, da comunidade de vocês. Seria como cortar o oxigênio a uma chama que arde. A fé é uma chama que se faz tanto mais viva quanto mais é partilhada, transmitida", disse.

Francisco pediu ainda para que os jovens não temam o ato de evangelizar. "Para onde Ele nos manda, não há fronteiras e nem limites. O Evangelho é para todos, não só para alguns. Não tenham medo de ir e levar Cristo para todos os ambientes", pediu o pontífice.

Em sua despedida, Francisco voltou a agradecer a acolhida e anúnciou a próxima JMJ. "Levo cada um de vocês no meu coração. E quero agradecer por todas alegrias que me deram nestes dias."

*com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.