Em Copacabana, papa reforça pedido por fé e agradece hospitalidade carioca

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

"Bote fé e a vida terá um sabor novo. Bote fé, bote esperança e bote amor", diz o papa aos jovens da JMJ

O papa Francisco teve o primeiro contato com o jovens que participam da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) durante a Cerimônia de Acolhida, na praia de Copacabana, nesta quinta-feira (25). O pontífice agradeceu a hospitalidade carioca e exaltou que os jovens que estão no Rio de Janeiro são um exemplo para o mundo.

Dia do papa:
Em tratamento contra câncer, Oscar Schmidt é abençoado por papa
"Sempre colocam mais água no feijão", diz papa sobre solidariedade brasileira
“Papa trouxe bênção e asfalto para Varginha”, diz moradora da favela
Em encontro com conterrâneos, papa pede que argentinos “vão às ruas”
Frio e chuva não intimidam e fiéis lotam Copacabana à espera do papa

Papa encerra sua participação na Festa da Acolhida: "Jesus nos espera, Jesus conta conosco". Foto: APPapa fez coro mais uma vez a um dos slogans da JMJ. "Bote fé e a vida terá um sabor novo. Bote fé, bote esperança e bote amor", disse. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressPapa Francisco participa da celebração da Cerimônia de Acolhida, em Copacabana. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressDurante Festa da Acolhida, papa Francisco discursou aos peregrinos: "Fé é maior que o frio e a chuva", disse. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressPapa Francisco chega para Festa da Acolhida, em Copacabana, no Rio de Janeiro. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressA pé, alguns peregrinos pularam grades de proteção para encurtar caminho em Copacabana. Foto: Vivian FernandezMovimentação em Copacabana para o evento com o papa começou cedo. Foto: Vivian FernandezCom trânsito interrompido, peregrinos a pé mudam paisagem de Copacabana. Foto: Vivian FernandezMesmo com frio, alguns peregrinos optaram por usar sandálias. Foto: Vivian FernandezCapa de chuva se tornou peça indispensável para peregrinos da Jornada Mundial da Juventude 2013. Foto: Vivian FernandezFiéis usam bandeiras de seus países nas atividades da Jornada Mundial da Juventude. Foto: Vivian FernandezTemperaturas baixas pegaram peregrinos de surpresa no Rio de Janeiro. Foto: Vivian FernandezPeregrinos chegaram a pé em Copacabana para bêncão do papa. Foto: Vivian FernandezTrânsito foi interrompido nas imediações de Copacabana para a visita do papa. Foto: Vivian FernandezFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Gabriela Bilo/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: ReutersFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura PressFiéis enfrentam vento e chuva para acompanhar a Jornada Mundial da Juventude em Copacabana, zona sul do Rio. Foto: Roberto Vazquez/Futura Press

"Sempre ouvi dizer que os cariocas não gostam do frio e da chuva, mas vocês estão mostrando que a fé de vocês é mais forte do que o frio e a chuva. Parabéns!", brincou o papa no começo de seu discurso.

Durante as duas vezes que falou aos jovens, Francisco insistiu que a vida com fé é o melhor caminho. Assim como no primeiro discurso que fez no Brasil, ele usou o termo "bote fé", que foi tema das semana missionárias que antecederam a JMJ. "Bote fé e a vida terá um sabor novo. Bote fé, bote esperança e bote amor".

Gabriela Bilo/Futura Press
Papa fez coro mais uma vez a um dos slogans da JMJ. "Bote fé e a vida terá um sabor novo. Bote fé, bote esperança e bote amor", disse

"Mas o que podemos fazer? 'Bote fé'", pediu o Santo Padre, no discurso, no qual recorreu a uma imagem familiar - a preparação de comida - para expor seu pensamento. "A cruz da Jornada Mundial da Juventude peregrinou através do Brasil inteiro com este apelo. Bote fé: o que significa? Quando se prepara um bom prato e vê que falta o sal, você então 'bota' o sal; falta o azeite, então 'bota' o azeite... 'Botar', ou seja, colocar, derramar."

Para o papa, a Bíblia mostra o caminho para a jornada espiritual que recomendou aos jovens. "No Evangelho, escutamos a resposta: Cristo", afirmou.

"Jesus é Aquele que nos traz a Deus e que nos leva a Deus; com Ele toda a nossa vida se transforma, se renova e nós podemos olhar a realidade com novos olhos, a partir da perspectiva de Jesus e com os seus olhos."

O chefe da Igreja Católica informou que antes de viajar ao Rio para participar da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) esteve com o papa Bento 16 e o convidou para fazerem a viagem juntos, mas que papa emérito preferiu ficar na Itália de onde ia acompanhar em pensamento e pela televisão as atividades da jornada. “Portanto, ele está conosco neste momento”, disse.

Gabriela Bilo/Futura Press
Durante Festa da Acolhida, papa Francisco discursou aos peregrinos: "Fé é maior que o frio e a chuva", disse

Francisco chamou esse processo de "revolução copernicana", em alusão a Nicolau Copérnico (1473-1543), o cientista que formulou o heliocentrismo, teoria segundo a qual o centro do universo seria o sol, não a Terra. Ele pediu aos jovens que se perguntassem, com sinceridade, em quem depositavam confiança, em si próprios ou em Jesus e propôs uma troca. "Sentimo-nos tentados a colocar a nós mesmos no centro, a crer que somos somente nós que construímos a nossa vida, ou que ela se encha de felicidade com o possuir, com o dinheiro, com o poder", declarou. "Mas não é assim! É verdade, o ter, o dinheiro, o poder podem gerar um momento de embriaguez, a ilusão de ser feliz, mas, no fim de contas, são eles que nos possuem e nos levam a querer ter sempre mais, a nunca estar saciados. (...) Vejam, queridos amigos, a fé realiza na nossa vida uma revolução que podíamos chamar copernicana, porque nos tira do centro e o restitui a Deus; a fé nos imerge no seu amor que nos dá segurança, força, esperança."

Saiba mais sobre a Jornada Mundial da Juventude

O papa citou São Pedro para falar da sua satisfação por estar na Jornada Mundial da Juventude. "É bom estarmos aqui!": exclamou Pedro, depois de ter visto o Senhor Jesus transfigurado, revestido de glória", disse. "Queremos também nós repetir estas palavras? Penso que sim, porque para todos nós, hoje, é bom estar aqui juntos unidos bem torno de Jesus!" 

Logo ao chegar, em sua saudação aos jovens, o papa disse ver neles "o rosto do jovem Cristo" e pediu um minuto de silêncio e oração pelas vítimas de um acidente na Guiana Francesa. O pontífice não seguiu estritamente o texto previamente distribuído à imprensa. Por seis vezes, improvisou algumas frases descontraídas, algumas até em português ao longo do pronunciamento feito principalmente em espanhol. O primeiro improviso foi dirigido aos moradores da cidade. "Sempre ouvi dizer que os cariocas não gostam da chuva e do frio", afirmou, logo no início. "Mas vocês estão mostrando ser mais fortes que o frio e a chuva. Parabéns! Vocês são verdadeiros guerreiros!" Ele também fez alguns improvisos no discurso, como quando perguntou aos jovens se estariam dispostos a "entrar nesta revolução da fé".

Vivian Fernandez
Peregrinos chegaram a pé em Copacabana para bêncão do papa

Milhares de fiéis compareceram a praia de Copacabana, onde o papa Francisco faz sua primeira participação oficial. Ele chegou às 17h15 ao Forte de Copacabana, e desfilou pela avenida Atlântica no papamóvel até o palco no Leme. Lá foi celebrada a cerimônia de Acolhida, com público estimado em mais de 1,5 milhão de pessoas.

O papa Francisco foi bastante aplaudido pelos peregrinos no fim de sua fala na Missa da Acolhida da Jornada Mundial da Juventude. Após a sua participação, os peregrinos começam a deixar a praia de Copacabana.

Com informações da AE

Leia tudo sobre: jmjjmj 2013jornada mundial da juventudepapapapa francisco

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas