Tribunal de Justiça concede habeas corpus a manifestante detido no Rio

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Nenhum artefato explosivo foi apreendido na posse do detido, apesar de ter sido acusado de lançar bomba

Agência Brasil

O desembargador Paulo de Oliveira Lanzelloti Baldez, do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, concedeu habeas corpus, na madrugada desta terça-feira (23), a Bruno Ferreira Teles, detido durante a manifestação realizada na noite de segunda (22) nas imediações do Palácio Guanabara, onde o papa Francisco participava da cerimônia de boas-vindas com a presidenta Dilma Rousseff.

Manifestantes prometem mais protestos durante JMJ

Veja momento da prisão:

O jovem, segundo a defesa, filmava o ato, segurando uma câmera filmadora, quando foi preso, agredido e conduzido à 9ª Delegacia de Polícia, no Catete. Lá ficou detido sob a acusação de ter lançado uma bomba incendiária em direção aos policiais.

Leia também:
No Twitter, papa agradece pela "magnífica acolhida em terras cariocas"
Dilma conta com visita do papa Francisco e recesso para acalmar crise

AP
Policial é atingido pelas chamas do coquetel molotov jogado pelos manifestantes no Rio

Após análise dos documentos apresentados, incluindo o auto de prisão em flagrante, o desembargador determinou a expedição de alvará de soltura em favor do manifestante. Segundo a decisão, “na hipótese dos autos existem duas versões distintas para os fatos. A primeira dos policiais militares ouvidos em sede policial e a outra trazida pelo acusado, sendo certo que, em que pese a capitulação delitiva contida na nota de culpa, nenhum artefato explosivo foi apreendido na posse do detido”.

Sobre a prisão em flagrante, o magistrado afirma que esta “não apresentou fundamentação idônea e concreta que a justifique”.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas