No 1º dia, papa quebra protocolo, fica preso no trânsito e fala em português

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Visita causou comoção nas ruas do Rio e papamóvel teve que parar por diversas vezes para pontífice abençoar bebês

O primeiro dia do papa Francisco no Brasil ficou marcado por situações inusitadas. A visita, que começou nesta segunda-feira (22) por conta da Jornada Mundial da Juventude, teve desde quebra de protocolo, com o pontífice circulando com os vidros abertos pelas ruas do Rio de Janeiro, até momentos de tensão, quando o carro do líder da Igreja Católica ficou parado em um congestionamento e foi cercado por fiéis. Para terminar, o papa ainda discursou em português ao passar mensagem para os jovens durante cerimônia no Palácio da Guanabara.

Saiba tudo sobre a Jornada Mundial da Juventude

O papa Francisco desembarcou às 16h05, na Base Aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Ele foi recebido pela presidenta Dilma Rousseff e o vice-presidente, Michel Temer. Também formaram a comitiva de recepção ao papa oito ministros de Estado, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e o prefeito do Rio, Eduardo Paes.

Veja o papa deixando o Palácio Guanabara na noite desta segunda-feira (22):

De lá, ele entrou em um carro comum e partiu em direção à Catedral Metropolitana. No caminho, o papa quebrou o protocolo ao circular com os vidros abertos pelas ruas da capital fluminense, enquanto acenava para os fiéis. O problema, no entanto, foi quando o veículo entrou na avenida Presidente Vargas e encontrou um congestionamento.

Ao ficar parado no trânsito, o carro foi cercado por fiéis. Nesse momento, os seguranças tiveram que se esforçar para que as pessoas não entrassem no veículo. Apesar disso, Francisco continuou tocando nas pessoas e cumprimentando a multidão. A situação, ainda assim, causou desconfortou entre as autoridades.

'Cristo bota fé nos jovens', diz papa em português ao chegar no Brasil

'Padre da nossa paróquia sonhou que o papa iria beijar o Miguel', diz mãe

“O secretário municipal de Transportes do Rio, Carlos Osório, informou que a prefeitura não sabia deste trajeto. "Não entendemos por que colocaram o papa naquele trajeto. Não houve comunicação à prefeitura. Foi uma decisão da Polícia Federal e não sabíamos sequer se o papa iria de helicóptero ou de carro.”

Depois de escapar do engarrafamento e chegar à Catedral, o papa trocou o carro comum pelo papamóvel e desfilou por outras vias da cidade enquanto se dirigia ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Por várias vezes, mandou parar o veículo para beijar bebês e abençoar crianças. “O padre da nossa paróquia sonhou que o papa iria beijar o Miguel", disse Juliana Braga Coelho, de 28 anos, mãe de um bebê de 7 meses que também conseguiu o carinho do pontífice.

Papa toca criança durante passeio pelas ruas do Rio de Janeiro. Foto: Associated PressMultidão cerca carro do papa Francisco no Rio. Foto: Associated PressPapa Francisco faz seu primeiro discurso no Brasil, no Palácio Guanabara, neste sagunda-feira (22). Foto: APPapa Francisco recebe camisa do Fluminense. Foto: Flickr/FluminensePapa se desloca em carro fechado pelas ruas do Rio. Foto: Divulgação/Prefeitura do RioMultidão circula papamóvel durante passeio do papa Francisco pelas ruas do Rio. Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS/NewscomPapa Francisco abençoa criança no Rio de Janeiro. Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS/NewscomApesar da comoção, Rio teve protesto contra os gastos gerados pela visita do papa. Foto: APA polícia optou por usar bala de borracha contra os manifestantes. Foto: PILAR OLIVARES/REUTERS/NewscomParticipantes do ato responderam com coquetel molotov, que atingiu um PM. Foto: APO protesto terminou com a prisão de duas pessoas. Foto: RICARDO MORAES/REUTERS/NewscomAs manifestações, no entanto, aconteceram depois da passagem do papa. Foto: UESLEI MARCELINO/REUTERS/NewscomPapa francisco passeia em papamóvel pelas ruas do Rio de Janeiro. Foto: Associated PressPapa Francisco beija criança no Rio de Janeiro. Foto: STRINGER/REUTERS/NewscomPapa Francisco passeia pelas ruas do Rio em papa móvel aberto. Foto: STEFANO RELLANDINI/REUTERS/NewscomPapa Francisco percorre ruas do Rio de Janeiro em papamóvel aberto. Foto: STEFANO RELLANDINI/REUTERS/NewscomPapa Francisco percorre ruas do Rio de Janeiro em papamóvel aberto. Foto: STEFANO RELLANDINI/REUTERS/NewscomPapa percorre as ruas do Rio com papamóvel aberto. Foto: Associated PressPapa percorre as ruas do Rio com papamóvel aberto. Foto: Associated PressMultidão espera a chegada do papa Francisco nas ruas do Rio. Foto: Dhavid Normando/FuturapressPapa segue pelas ruas do Rio de Janeiro em papamóvel aberto. Foto: Associated PressRio de Janeiro espera a passagem do papa Francisco. Foto: Nina Ramos/iG RioRio de Janeiro espera a passagem do papa Francisco. Foto: Nina Ramos/iG RioRio de Janeiro espera a passagem do papa Francisco. Foto: Nina Ramos/iG RioRio de Janeiro espera a passagem do papa Francisco. Foto: Nina Ramos/iG RioMultidão espera a chegada do papa Francisco nas ruas do Rio. Foto: Dhavid Normando/FuturapressMultidão espera a chegada do papa Francisco nas ruas do Rio. Foto: Dhavid Normando/Futura PressA presidente Dilma Rousseff recebe o papa Francisco, que chega ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude . Foto: Associated PressA presidente Dilma Rousseff recebe o papa Francisco, que chega ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude . Foto: Associated PressA presidente Dilma Rousseff recebe o papa Francisco, que chega ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude . Foto: Associated PressPapa Francisco chega ao Rio de Janeiro. Foto: Vivian FernandezPapa Francisco chega ao Rio de Janeiro. Foto: Vivian FernandezPapa Francisco chega ao Rio de Janeiro. Foto: Vivian FernandezA presidente Dilma Rousseff recebe o papa Francisco, que chega ao Rio de Janeiro para participar da Jornada Mundial da Juventude . Foto: Associated PressPúblico recebe papa Francisco na base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Foto: Associated PressPapa Francisco desembarca no Rio de Janeiro. Foto: Associated PressPapa Francisco desembarca no Rio de Janeiro. Foto: Associated PressPapa Francisco chega ao Rio de Janeiro. Foto: Vivian FernandezAvião que transporta o papa Francisco pousa na base aérea do Galeão, no Rio de Janeiro. Foto: Associated PressPapa recebe bandeira do Brasil dentro do avião em qual veio de Roma. Foto: Associated PressPapa Francisco é recebido por comissários durante embarque rumo ao Rio de Janeiro. Foto: ReutersPapa Francisco embarca nesta segunda-feira (22) no aeroporto internacional de Roma rumo ao Rio de Janeiro. Foto: AP


Cerimônia

Quando chegou no Theatro Municipal, o líder da Igreja Católica embarcou em outro carro fechado para pegar um helicóptero que o levou até o Palácio Guanabara. A aeronave pousou no campo do Fluminense, que fica ao lado, e o argentino foi presenteado com uma camisa do clube. A chegada do papa deu início à cerimônia, que teve discurso da presidente Dilma Rousseff. Ela agradeceu Francisco e citou as manifestações que tomaram conta do País nos últimos meses.

Leia também:
“Sou fruto de um milagre e vim aqui para agradecer”
Manifestantes são presos após confronto em frente ao Palácio Guanabara

“Nós brasileiros somos mulheres e homens de fé. A fé é parte indelével do espírito brasileiro. Cada um de nós temos crença em melhorar as nossas vidas. Temos a crença de que o amanhã pode ser melhor que hoje", disse a presidente antes de complementar. “A juventude brasileira está engajada e clama por avanços sociais.”

O papa também falou e surpreendeu ao fazer um discurso totalmente em português. Ele começou pedindo "licença” para entrar no “imenso coração brasileiro”. E depois se esforçou para passar uma mensagem que usasse referências culturais brasileiras.

"O motivo principal da minha presença no Brasil, como é sabido, transcende as suas fronteiras. Vim para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Vim para encontrar os jovens que vieram de todo o mundo, atraídos pelos braços abertos do Cristo Redentor. Eles querem agasalhar-se no seu abraço para, junto de seu coração, ouvir de novo o Seu potente e claro chamado: 'Ide e fazei discípulos entre todas as nações. (...) Cristo bota fé nos jovens", disse.

Peregrinos

Depois do pronunciamento, o pontífice teve uma rápida reunião com a presidente. Por volta das 19h20, Francisco deixou o Palácio em seu carro sem filme nos vidros e acenou para o povo que estava na porta. Ele seguiu até a residência do Sumaré, onde ficará hospedado no Rio de Janeiro.

Pedro Grossa, de 34 anos, foi um dos voluntários que teve o privilégio de participar da cerimônia com o pontífice. “Foi bonito. É bonito saber que ele coloca fé nos jovens. E o discurso foi muito próximo dos termos dos cariocas. É legal ver que ele se preparou de coração e fez questão de falar diretamente para os jovens”, contou.

Já o peregrino Michel Lorãn, de 22 anos, chegou cedo, ficou atrás do cordão de isolamento da PM e não conseguiu ver Francisco no interior do carro. Mesmo assim, ele garantiu que não ficou decepcionado: “Decepção não é a palavra. Nós fomos ‘privados’ de encontrar com ele de um ponto mais próximo por questão de segurança. Dá uma tristeza, mas eu entendo. E valeu a pena mesmo assim. Eu, pelo menos, fiz até amigos durante o dia”.

Protestos

Manifestantes promoveram diversos protestos no centro do Rio de Janeiro durante a visita do papa Francisco. Pedindo mais liberdade paras as mulheres e criticando a interferência da religião no governo, um grupo feminista foi o que mais chamou atenção ao tirar a roupa no Largo do Machado.

Mulheres tiram a roupa em protesto durante a visita do papa

Um beijaço gay ocorreu também ocorreu no mesmo local, em frente à Igreja Nossa Senhora da Glória, na zona sul. O grupo tomou conta das escadarias da igreja, que momentos antes estavam ocupadas por peregrinos da Jornada Mundial da Juventude . Com cartazes como do "Papa eu abro mão, quero mais dinheiro para saúde e educação", os manifestantes protestam contra gastos públicos com a vinda do papa ao país.

O ato, no entanto, acabou em confronto com policiais em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo do Rio de Janeiro. Algumas pessoas foram feridas e outras terminaram presos. Entre os detidos estava um pedagogo que foi acusado pela polícia do Rio de Janeiro de começar a confusão.

Com reportagem de Nina Ramos, Paula Costa e Waleria de Carvalho.


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas