Desde início da tarde, centenas de policiais isolaram sede do governo, mas houve confronto no início da noite

O confronto entre manifestantes e policiais em frente ao Palácio Guanabara, sede do governo do Rio de Janeiro, após o papa Francisco deixar o local, terminou com feridos e presos nesta segunda-feira (22). Entre os presos estava um pedagogo que foi detido pela polícia do Rio de Janeiro por ser suspeito de começar a confusão. Em outra ação, jornalistas do grupo Ninja foram detidos por policiais .

Veja vídeo de manifestante sendo detido pela polícia:


Leia também: Saiba mais sobre a Jornada Mundial da Juventude
No 1º dia, papa quebra protocolo, fica preso no trânsito e fala em português

O protesto que reuniu trabalhadores, estudantes e representantes do movimento LGBT (lésbica, gay,bissexual, travesti e transexual) começou no Largo do Machado e ficou tenso quando o grupo chegou perto do Palácio do Guanabara, onde ocorreu uma cerimônia oficial de recepção ao papa Francisco no País . Outras pessoas também foram detidas.

Protesto: Mulheres tiram a roupa em protesto durante a visita do papa

Policial é atingido pelas chamas do coquetel molotov jogado pelos manifestantes no Rio
AP
Policial é atingido pelas chamas do coquetel molotov jogado pelos manifestantes no Rio

Logo que os manifestantes chegaram na região do Guanabara, eles queimaram um boneco que representava o governador Sérgio Cabral. Uma confusão aconteceu depois que eles jogaram garrafas de água e coquetéis molotov na direção dos policiais, que reagiram com bombas de efeito moral. Um policial foi atingido pelas chamas no peito foi levado com queimaduras para o hospital

Papa no Brasil: 'Cristo bota fé nos jovens'

A Polícia Militar (PM) apontou o grupo conhecido como Black Blocs, que usa roupa preta, esconde o rosto e se infiltra nas manifestações pacíficas, de ter começado o confronto

Dois manifestantes foram presos durante o confronto e encaminhados para a 9ª Delegacia Policial, no Catete. Um deles foi flagrado com 20 coquetéis molotov na rua das Laranjeiras. O material apreendido está sendo apresentado na delegacia.

Por medida de segurança, a Estação Catete do metrô foi fechada, devido ao confronto entre os manifestantes e a Tropa de Choque da PM na Rua das Laranjeiras perto do Largo do Machado. Policiais militares também prenderam dois homens que roubavam manifestantes no Largo do Machado.

Diversos moradores da rua Pinheiro Machado, local onde fica o Palácio Guanabara, apoiaram os manifestantes estendendo bandeiras do Brasil e panos brancos nas janelas. Alguns ainda apagavam e acendiam as luzes de casa como um sinal de aprovação pelo protesto.

Vendedora Vânia monta barraquinha de espetinhos.
Nina Ramos/iG Rio
Vendedora Vânia monta barraquinha de espetinhos. "Olha o churrasquinho de efeito moral!", anunciou

Um grupo de estudantes de medicina da Unirio estava auxiliando nos primeiros socorros dos feridos. Segundo Felipe Francisco, de 20 anos, eles atenderam um fotógrafo da agência France Press que tomou um tiro de bala de borracha na cabeça. Outro rapaz foi atingido na perna. Os dois foram encaminhados para hospitais da região.

Por volta das 20h30, um grupo manifestava no Largo do Machado, enquanto outro pequeno ainda permanecia na Pinheiro Machado e confrontava a polícia com gritos de guerra. A vendedora Vânia aproveitou o momento para tirar sua barraquinha de espetinho (R$5, cada) da garagem. “Olha o churrasquinho de efeito moral! Não precisa nem colocar pimenta, porque já tem por aí”, avisou.

Veja fotos do primeiro dia do papa no Brasil:




    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.