De acordo com a polícia, suspeitos trabalharão na área administrativa até conclusão de inquérito sobre o caso

Estadão Conteúdo

Os quatro policiais suspeitos de envolvimento no desaparecimento de Amarildo de Souza, morador da favela da Rocinha que não é visto desde o dia 14, foram afastados dos serviços operacionais nesta quinta-feira, 18. De acordo com a polícia, eles trabalharão na área administrativa na Coordenadoria de Policia Pacificadora (CPP) até a conclusão do inquérito que investiga o caso.

Moradores protestaram contra o sumiço de Souza na quarta, 17, e na sexta-feira, 19, interrompendo o trânsito na Autoestrada Lagoa-Barra, importante via de ligação entre a zona sul e a Barra da Tijuca.

Ele foi visto pela última vez no dia 14 por volta das 8h. Foi levado por policiais da UPP da favela para averiguação e, desde então, não voltou para casa. Parentes rodaram hospitais e delegacias e não o encontraram.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.