Papa usará os mesmos jipes abertos que tem adotado para ter contato com os fiéis durante as audiências em Roma

Reuters

O papa Francisco não usará papamóveis blindados durante a visita ao Brasil na semana que vem para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) porque deseja ter contato direto com a multidão, apesar dos riscos envolvidos, disse o Vaticano nesta quarta-feira.

Leia também:
Avião com papamóveis desembarca no Brasil
Em Aparecida, Francisco saudará fiéis no papamóvel antes da missa
Serviço de inteligência terá 'mais cuidado' por causa de papamóvel sem blindagem

Veja abaixo imagens dos preparativos para a chegada do papa no Brasil:

O papa argentino chega ao Brasil na segunda-feira (22), na primeira viagem do seu pontificado para fora da Itália. Ele usará os mesmos jipes abertos que tem adotado para ter contato com os fiéis durante as audiências gerais na Praça de São Pedro.

"Ele sente que para se comunicar diretamente com as pessoas é melhor desse jeito", disse o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi, a jornalistas. "Ele decidiu fazer desse jeito porque é uma continuidade da forma como faz aqui."

O Vaticano tem uma frota de veículos blindados, com cobertura de vidro e ar condicionado, tradicionalmente usados pelos papas quando viajam para fora de Roma. Esses papamóveis foram adotados depois do atentado de 1981 contra o papa João Paulo 2º. O pontífice polonês foi alvejado por um extremista turco quando percorria a Praça de São Pedro em carro aberto.

Papamóvel branco desembarca no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (15)
Ale Silva/Futura Press
Papamóvel branco desembarca no Rio de Janeiro nesta segunda-feira (15)

Francisco passará uma semana no Rio de Janeiro para comandar as celebrações da Jornada Mundial da Juventude, evento bienal e itinerante apelidado de "Woodstock católico". O pontífice argentino também visitará pessoas pobres na favela carioca de Manguinhos, e uma instituição para jovens infratores.

No dia 24, ele vai de helicóptero até Aparecida (SP), uma viagem de cerca de 240 quilômetros, para visitar o Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida.

Lombardi disse que a presidente Dilma Rousseff convidou outros presidentes latino-americanos para visitarem o Brasil e homenagearem o primeiro papa oriundo da região. O porta-voz disse não saber quantos governantes aceitaram o convite.

O papa também planeja falar a líderes políticos e empresariais brasileiros durante sua estadia. Essa deve ser a única viagem internacional do papa neste ano. Uma visita à Argentina está programada para o começo de 2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.