Dom Orani acolhe fiéis de diversas partes do mundo em missa

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Jovens aproveitam para conhecer peregrinos de outros países. Abin diz que principal ameaça são manifestações

O arcebispo Dom Orani Tempesta celebrou, nesta terça-feira (16), na Catedral, uma missa de acolhida aos voluntários da Jornada. Segundo o padre Ramon Nascimento, diretor- executivo do Setor de Voluntários do evento, são 60 mil voluntários, 45 mil do Estado do Rio, 7.500 do resto do país e 7.500, estrangeiros.

Entre suas funções estão atuar como socorristas, tradutores, em cordões de isolamento e na organização das igrejas.

José Pedro Monteiro / Agência O Dia
Voluntários de diversas partes do mundo são acolhidos na Catedral com missa de Dom Orani Tempesta

Peregrinos de Argentina, Benin, Botswana, Filipinas, Guiana, Indonésia e Ucrânia poderão entrar em contato com seus consulados na sede da OAB do Rio. A Ordem dará apoio em questões jurídicas e a dependentes químicos tratados no Polo de Atenção Integral à Saúde Mental, a ser inaugurado pelo Papa no dia 24.

Jovens peregrinos aproveitam para conhecer fiéis de outros países

Com peregrinos de várias partes do mundo chegando para participar da Jornada Mundial da Juventude, o Rio de Janeiro se tornou um ambiente propício às novas amizades para os jovens católicos.

“Falamos a língua de Deus. Rapidamente descobrimos afinidades e fazemos um bom intercâmbio cultural”, garantiu a carioca Luciana Perez, que apresentava as areias de Copacabana a amigos mineiros e paulistas, quando conheceu um grupo de 30 estudantes dominicanos e porto-riquenhos.

“A Jornada da Juventude não acontece no Rio de Janeiro por acaso. É impossível não se encantar pelas paisagens e pela mensagem difundida nesse lugar”, garantiu a porto-riquenha Angela Capeles, de 19 anos.

O grupo está hospedado em Niterói e, entre um louvor e outro, tem aproveitado a viagem para realizar passeios e fazer novas amizades.

Entre os principais destinos nos roteiros dos fiéis estão o Mosteiro de São Bento, o Cristo Redentor e a Praia de Copacabana, que, na tarde desta terça-feira, encontrava-se lotada por voluntários que ajudam na recepção dos peregrinos e são facilmente identificados por vestir camisas com as cores vivas da Jornada.

Em frente à Catedral Metropolitana, onde foi celebrada a missa de acolhimento aos voluntários, também podia-se identificar jovens que aproveitam o evento para conhecer melhor o Brasil. A francesa Misseline Tavar, de 20 anos, estava lá e fazia os planos. Depois que o Papa Francisco for embora, ela e o grupo de 50 amigos embarcarão em uma viagem a Salvador.

“Não podemos perder a oportunidade de conhecer melhor o país mais encantador do mundo.”

Espaço para estrangeiros no Galeão

Com orientação dos voluntários da JMJ para que evitem deixar o Aeroporto Internacional do Rio após as 20h, os peregrinos estrangeiros já têm um local para ficar quando chegarem em voos noturnos.

A Infraero inaugurou, oficialmente, nesta terça a Fun Zone, espaço de descanso e lazer que ficará aberto 24h por dia, com poltronas, lanchonete, internet, telão e um DJ. Na noite de segunda, cerca de 200 jovens de países como Argentina, Polônia, Venezuela e Canadá dormiram no local. A Fun Zone foi instalada no terminal 1 e ficará aberta até o dia 30.

Abin: Manifestações são maior 'fonte de ameaça'

As manifestações nas ruas são a maior “fonte de ameaça” durante a visita do Papa Francisco ao Rio. Era esse o alerta que mostrava, nesta terça-feira, o painel de monitoramento da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), na sede do órgão, em Brasília. As informações são sinalizadas em três cores. E era a vermelha — alta possibilidade de incidentes — que aparecia para os grupos sem hierarquia e espontâneos. Já circulam na internet convocações para a recepção ao Pontífice no Palácio Guanabara, na segunda-feira.

“Diante das ações dessa fonte percebidas no país nos últimos meses, associadas às ações internacionais relacionadas a grandes eventos desse teor, considerou-se tendência de manifestação positiva durante o evento”, informava o painel. O sistema é alimentado, diariamente, por dados repassados por setores regionais da inteligência.

Os outros dois alertas são laranja (média possibilidade de incidentes) e verde (baixa possibilidade). A primeira cor aparece para “movimentos reivindicatórios” — protestos organizados — e criminalidade comum. No painel, aparecia a seguinte informação: “Apesar de iniciativas de caminhoneiros, médicos e sindicatos variados promovendo manifestações/greves nas últimas semanas, não há subsídio suficiente para estabelecer tendência para esta fonte de ameaça”.

Sobre a criminalidade, o painel dizia: “Segundo os dados estatísticos, os índices de criminalidade desta região estão de acordo com a normalidade.” Incidentes de trânsito, crime organizado e organizações terroristas têm nível baixo de ameaça e estão na cor verde.

Para o ministro do Gabinete de Segurança Institucional, general José Elito, as manifestações não serão problema. “Temos que encarar com total naturalidade e, claro, olhar, acompanhar, para evitar que aquelas manifestações tenham uma repercussão a ponto de prejudicar um grande evento como esse.”

Paes sugere que políticos se confessem com o Papa

Na expectativa de manifestações que prometem cercar a JMJ, o prefeito Eduardo Paes fez questão de excluir o Papa Francisco do alvo dos protestos e brincou que os políticos podem se confessar com ele.

“Todos têm direito de se manifestar. Mas o Papa nada tem a ver com pecados de políticos brasileiros, a não ser perdoá-los. O que eles podem fazer é se confessar com ele”, declarou o prefeito, durante coletiva sobre o esquema de trânsito da Jornada.

A partir das 14h do dia 23, a pista da Avenida Atlântica junto à orla até o Leme será interditada. Haverá inversão de mão na Avenida Atlântica - pista junto aos prédios.No mesmo dia, a partir das 16h, a via será totalmente fechada, no trecho que compreende a Rua Figueiredo Magalhães e Avenida Prado Junior até o término do evento. Durante o períodod e interdição, apenas os veículos autorizados, com credenciamento, poderão circular nas áreas bloqueadas.

Os motoristas que circulam na região terão de se programar: o estacionamento será proibido a partir das 23h do dia 21 (domingo), até as 14h do dia 27, em diversas ruas do bairro.

As vias com as restrições são: Ruas Figueiredo Magalhães; Siqueira Campos (entre a Atlântica e a Nossa Senhora de Copacabana dos dois lados); Rodolfo Dantas; Prado Junior, Duvivier, Ronald de Carvalho; Belford Roxo; Marechal Mascarenhas de Moraes (entre Rua Barata Ribeiro e Rua Tonelero); Gustavo Sampaio; Martin Afonso, Ministro Viveiros de Castro; e Avenida Atlântica (entre a Rua Figueiredo Magalhães e a Rua Anchieta).

A partir da 0h do dia 25, Copacabana começa a receber montagens para evento com o Papa. Às 12h, haverá bloqueio total do bairro. Às 14h, toda a regiãos erá interditada, e ônibus e táxis não poderão circular. Às 4h do dia 26, o bairro será reaberto, com exceção da pista da Avenida Atlântica junto à orla, que continuará interditada.

Devido às interdições, a prefeitura recomenda aos moradores e turistas que cheguem à região pelo transporte público, como metrô - as estações Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos e Cantagalo estarão abertas.

Os usuários de ônibus regulares terão de desembarcar em bolsões localizados na Enseada de Botafogo e na Rua Prudente de Morais, em Ipanema. Para quem for de ônibus, o acesso a Copacabana será a pé.

Para a Via Sacra com presença do Papa, na sexta (26), a Avenida Atlântica, pista junto à orla, amanhecerá fechada. A partir de meio-dia, o bairro será totalmente interditado. Apenas linhas regulares de ônibus e táxis poderão circular. Já às 14h será totalmente fechado, com previsão de abertura às 4h de sábado. Os bolsões de desembarque ficarão na Enseada de Botafogo e na Rua Prudente de Morais.

Embora distante do Centro do rio, Guaratiba, onde ocorrerá vigília, também terá esquema especial de trânsito, que começará às 12h do dia 26, sexta-feira.

Quem usar ônibus do BRT Transoeste terá de saltar na estação Recreio Shopping. Depois, os peregrinos terão de caminhar cerca de 13 km até o local do evento,pela Avenida das Américas, Túnel da Grota Funda, Avenida Dom João VI e Estrada da Matriz.

Quem for de trem à região poderá saltar na estações de Santa Cruz e Campo Grande. Quem sair de Santa Cruz, deverá também caminhar aproximadamente 13 km, pela Rua Felipe Cardoso, Estrada da Pedra e Avenida Dom João VI.

Quem optar saltar em Campo Grande, terá de seguir outra rota para chegar ao Campus Fidei. O percurso, a pé, começa pela Rua Engenheiro Trindade, Rua Augusto de Vasconcelos, Amaral Costa, Avenida Cesário de Melo, Rua Tatuoca, Rua Uruna, Rua Jiçara, Estrada da Cambota, Estrada do Monteiro (pista sentido Campo Grande), Estrada do Mato Alto, Rua Campo Formoso (pista sentido Campo Grande), Estrada do Mato Alto (pista sentido Barra) e Avenida Dom João VI.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas