Passeata até o Maracanã reúne 4 mil no Rio de Janeiro

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Até o momento, protesto segue sem violência pela rua Conde de Bonfim, acompanhado por policiais; entre manifestantes estava integrantes do PSOL

Agência Estado

Manifestantes deixaram há pouco a Praça Saenz Penã, na Tijuca, no Rio de Janeiro, em direção ao estádio do Maracanã. Até o momento, o protesto segue sem violência pela rua Conde de Bonfim, acompanhado por policiais. O movimento calcula que cerca de 4 mil pessoas estejam participando da manifestação.

Beltrame: Secretário de Segurança do Rio quer 'vândalos infiltrados' presos

Governador: 'Polícia fez o que achou mais viável para preservar a ordem', diz Cabral

Futura Press
Pessoas protestam neste domingo (30) na Praça Saens Peña na Tijuca, cidade do Rio de Janeiro

Entre os manifestantes estão alguns políticos, como o deputado federal Chico Alencar e o vereador Eliomar Coelho, ambos do PSOL. Integrantes do partido, segundo eles, apoiam o movimento, mas, optaram em vir sem bandeiras.

Alencar lembrou que o PSOL foi contra a Lei Geral da Copa e o regime diferenciado de contratação. "Queremos que a memória dessa juventude seja ativada para que não ache que todos os políticos são ladrões. É preciso separar o joio do trigo", disse.

O integrante do Comitê Popular da Copa, Renato Cosentino, espera não encontrar barreiras policiais no caminho até o Maracanã.

"Temos o direito constitucional de nos manifestarmos e chegar até o estádio. Não faz sentido um jogo com 70 mil torcedores levar 11 mil policiais às ruas. Isso mostra que os eventos organizados pela Fifa e outras organizações privadas não são feitos em benefício público", reclamou.

Leia tudo sobre: rio de janeiroaumento da passagemcopamanifestação

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas