Enquanto manifestantes jogavam latas e pedras, policiais revidavam com bombas de gás lacrimogênio

O Dia

Agência Brasil

Protesto no entorno do Maracanã termina em confronto com a polícia
Jadson Marques/Futura Press
Protesto no entorno do Maracanã termina em confronto com a polícia

Um grupo de pessoas que participava da manifestação nos arredores do estádio Maracanã entrou em confronto com a polícia há pouco. O clima ficou tenso depois que manifestantes arremessaram objetos, como latas e pedras nos policiais, que revidaram com bombas de gás para dispersar o grupo.

O confronto ocorreu no cruzamento entre a Rua São Francisco Xavier e a Avenida Maracanã. Parte da concentração se dispersou, mas alguns manifestantes permaneceram a poucos metros de distância da barreira, ateando fogo em objetos e os arremessando em direção aos policiais.

Maracanã: V oluntários protestam em cerimônia de encerramento

Profissionais da saúde voluntários socorrem quem se feriu na confusão. Até agora seis pessoas se feriram, todos eles são manifestantes.

Um professor da rede estadual de ensino, Hamilton Moraes, estava protestando pacificamente quando foi atingido por estilhaços de uma bomba de gás lançada por policiais durante a confusão. O professor foi atingido no olho e ficou ferido.

O helicóptero da PM sobrevoa a região. Policiais identificaram uma casa na Rua Paula Mattos, em que cerca de 30 manifestantes teriam se refugiado. O Bope foi chamado. Outro grupo tenta se refugiar em bares na Rua São Francisco Xavier e há manifestantes ainda na altura da Barão de Mesquita, perto do Colégio Militar, a cerca de cem metros da Tropa de Choque. Eles estão cantando e alguns sentaram no chão.

Supresa

Surpresos com o trajeto adotado pelos manifestantes, os PMs precisaram dar a volta no quarteirão para voltar a se posicionar à frente da passeata. Houve corre-corre, mas, mesmo assim, os policiais não conseguiram impedir que a Rua São Francisco Xavier fosse interditada.

A PM, então, montou uma grande barreira na esquina com a Rua Mariz e Barros, que fecha completamente a continuidade da manifestação pela São Francisco Xavier. Motoristas estão assustados com a movimentação. 

O veículo blindado da Polícia Militar, conhecido como caveirão, permanece estacionado na esquina entre a Avenida Maracanã e a Rua Professor Henrique Rebelo.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.