Fiéis já ‘vestem a camisa’ e lançam a moda JMJ no Rio

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Mais de 100 produtos relacionados aos papas Bento 16I e Francisco alavancam vendas e produção da indústria na cidade

Para se engajar na Jornada Mundial da Juventude 2013 não basta ter fé. O evento no Rio está fazendo milhares de católicos, literalmente, vestirem a camisa. São mais de 100 produtos relacionados à marca que vão desde pulseiras, terços, blocos, pingentes a até caixa de remédios. O evento será realizado entre 23 e 28 de julho, mas já aquece o comércio e a indústria.

Leia também: Rio de Janeiro terá esquema operacional de réveillon para JMJ em Copacabana

Para a responsável pelo setor de vendas do site oficial da Jornada, Karine Blumberg, nem a mudança de papas gerou prejuízo — que poderia ter encalhado os artigos com a imagem do antigo líder da Igreja Católica, Papa Bento 16. Segundo ela, muita gente quer guardar lembranças do Santo Padre que renunciou e procura produtos com a marca dele. E, como não poderia deixar de ser, a procura por material que remeta ao novo Pontífice aumenta a cada dia no Rio.

Maíra Coelho / Agência O Dia
Thaiana e Thatiana Valory compram com o vendedor, o voluntário Samuel José

As vendas até subiram com a mudança do Papa. Entre os meses de fevereiro e março, por exemplo, tivemos um crescimento em torno de 45% nas compras direto pelo site”, comemora. Ela explica que um dos itens mais vendidos foi uma camisa com a imagem de Bento 16. “O clima de despedida alavancou nosso comércio”, conta.

Em Botafogo, na Paróquia Santa Teresinha do Menino Jesus, a lojinha já está toda decorada com adesivos, e os artigos que mais saem por lá são chaveiros e camisetas com a imagem do Papa Francisco. “Investimos R$ 77 mil em reformas da loja e da cantina para a Jornada”, contou o padre Marcos Lázaro.

“Os produtos específicos da Jornada já fazem diferença na renda regular. As pessoas procuram bastante”, festeja o religioso. Ele prevê aquecimento nas vendas com a proximidade do evento, mas não estima o percentual.

Reforço na jornada

A estudante de Comunicação Gabriella Pereira, de 20 anos, frequenta a Basílica do Imaculado Coração de Maria, no Méier, e já fez suas comprinhas: camisas, garrafinhas e adesivos. “Além de gostar bastante, faço para ajudar, pois parte do dinheiro que é arrecado vai para compra de mais produtos e a outra parte para uma caixinha de fundos. Os produtos não são caros e são uma graça”, defende a estudante.

Gabriella também é voluntária na paróquia. “A maioria dos voluntários já tem a camisa do evento. Todo mundo está na moda JMJ”, brinca.

Produtos licenciados até por R$ 5

Existem produtos para todos os gostos e bolsos. Desde pingentes para celulares e pulseiras por menos de R$ 5 até uma medalha em ouro com a gravura de Bento 16 — em edição limitada — por R$ 369.

Os artigos são desenvolvidos e fornecidos por empresas licenciadas, que são avaliadas e aprovadas pelo Comitê Organizador Local (COL). De acordo com a Irmã Cátia Cappellari, voluntária do COL há um ano, existem problemas de pirataria.

“As pessoas têm boa-fé, querem ajudar a divulgar e não percebem que estão pirateando. Fazem as camisas para seus grupos, movimentos, ao invés de comprarem os produtos oficiais, e assim deixam de contribuir com a JMJ”, destacou.

A religiosa explicou que parte da renda é revertida para o Instituto JMJ e ajuda a custear a Jornada: “Comprando produtos oficiais, as pessoas mostram uma igreja que caminha junto”.

Assinatura de Ziraldo

Na esteira de produtos comercializados, a Jornada ganhou reforço de peso. O cartunista Ziraldo — que desenha os cartazes da Feira da Providência há 52 anos — aceitou convite e vai criar camisa para o evento. “Quando eu era criança, participava da Cruzada Eucarística. Acabei no Conselho Diocesano do Rio. Está tudo em casa. Minha mãe ia adorar”, diverte-se. Ziraldo preparou três desenhos que serão estampados na camisa ‘EU VOU’, lançada em evento Bote Fé Niterói. 

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas