Rio de Janeiro terá esquema operacional de réveillon para JMJ em Copacabana

Por Raphael Gomide - iG Rio de Janeiro |

compartilhe

Tamanho do texto

Planejamento de interdição de ruas, deslocamento de efetivo da PM, número e localização de carros já está praticamente pronto, bastando pequenas adaptações e o itinerário do papa

A Polícia Militar do Rio de Janeiro vai aplicar o mesmo esquema operacional usado todos os anos na mais famosa festa de réveillon do Brasil, na praia de Copacabana, durante os atos centrais da Jornada Mundial da Juventude 2013 (JMJ), no bairro.

Leia também: Vaticano divulga agenda do papa durante Jornada Mundial da Juventude

STEFANO RELLANDINI/REUTERS/Newscom
Papa Francisco vem ao Brasil em julho deste ano

A região vai estar sob a coordenação da Sesge (Secretaria Extraordinária de Grandes Eventos), do Ministério da Justiça, e caberá principalmente à PM fazer a segurança da orla e dos milhões de peregrinos e pessoas que vão acompanhar dois dos principais atos centrais da jornada, inclusive com a presença do papa Francisco, marcados para Copacabana.

De acordo com o coronel Alberto Pinheiro Neto, chefe do Estado-Maior Operacional da PM, e o tenente-coronel Edison Duarte, chefe do Escritório de Assuntos para a Copa do Mundo-2014 e Jogos Olímpicos-2016 (Grandes Eventos), o conceito operacional de policiamento é o do réveillon, adaptando as peculiaridades. “É um evento que vem dando certo, sem grandes problemas, há 30 anos”, explicou Pinheiro Neto.

Portanto, o planejamento de interdição de ruas, manejo da área, deslocamento de efetivo, número e localização de viaturas já está praticamente pronto, bastando fazer pequenas adaptações e o itinerário do Papa.

Por ser uma celebração religiosa, a PM espera que a JMJ tenha muito poucos incidentes, apesar da expectativa de participação de milhões de pessoas na praia de Copacabana. “Trata-se de um evento religioso, mais calmo (que a passagem de ano novo). Em tese, não tem tanta bebida – que provocam quedas e acidentes com vidros quebrados de garrafas –, ou brigas, como no réveillon em Copacabana. Achamos que não haverá”, afirmou o tenente-coronel Duarte.

Trata-se de uma prática comum a organizações militares, em geral, e à PM, especificamente, otimizando o planejamento anterior. Assim como grandes eventos em Copacabana baseiam-se no esquema do réveillon, shows e outros espetáculos no Sambódromo seguem o modelo do carnaval, e feiras e eventos no Riocentro tendem a se enquadrar no plano feito para o Rock in Rio.

Papa diz a Dilma que visitará Rio e Aparecida
Papa diz estar 'ansioso' para visitar Rio de Janeiro em julho
No Vaticano: Dilma assiste à missa inaugural do papa Francisco

Futura Press
Movimentação na praia de Copacabana deve ser semelhante a do reveillón

O papa Francisco vai chegar a Copacabana de helicóptero. Ele desce no Forte do Leme e vai de papamóvel até o palco, na altura da avenida Princesa Isabel. O papamóvel tem protocolo e se desloca lentamente, para que a população o veja no caminho.

Além dos batedores e da equipe de segurança aproximada, composta pela Polícia Federal, a pista de três faixas mais próxima orla será bloqueada para carros e pedestres e ficará exclusiva para a passagem do pontífice.

A jornada será marcada por um grande deslocamento de pessoas a pé. O evento estimula os peregrinos a se deslocar a pé e a usar o transporte público. Por outro lado, há um deslocamento em grande escala, que pode sobrecarregar o transporte público. A PM informou estar atenta a essa movimentação.

Leia tudo sobre: jmjjmj2013jornada mundial da juventudepapapapa francisco

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas