Corpo de idosa que desapareceu de hospital foi enterrado em Inhaúma

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Polícia Civil confirma que funcionária trocou corpo por engano e não exigiu que família reconhecesse o corpo no Hospital Municipal Jorge Júlio Costa Santos

O corpo da idosa Laudelina dos Santos, de 84 anos, que desapareceu nesta quarta-feira (15) do Hospital Municipal Jorge Júlio Costa Santos, em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foi enterrado por engano no Cemitério de Inhaúma, Zona Norte do Rio. A informação foi confirmada nesta quinta-feira pelo delegado Felipe Curi, da 54ª DP (Belford Roxo).

De acordo com ele, uma funcionária da unidade é a responsável pela troca. A mulher não irá responder criminalmente pelo fato. "Ela deve sofrer apenas punição administrativa, já que não houve crime", afirmou Curi.

De acordo com ele, a funcionária liberou o corpo de Laudelina para parentes de Lucinea Caetano, que faleceu no último dia 11. "Familiares de Lucinea não quiseram reconhecer o corpo, o que é obrigatório. Mas a servidora liberou mesmo assim", contou o delegado. O sepultamento foi realizado com caixão fechado e por isso ninguém notou a troca.

O corpo de Laudelina dos Santos deve ser exumado entre esta quinta e sexta-feira para que as famílias possam realizar os sepultamentos corretamente. A confusão começou por volta das 5h da manhã, quando Laudelina foi levada desacordada por parentes para a unidade. Cerca de meia hora depois, os médicos anunciaram a morte por enfarte.

Os familiares saíram do hospital para ir ao cartório e, quando voltaram, por volta de 11h, não encontraram o corpo.

(Por Athos Moura)

Leia tudo sobre: rio de janeirohospitalbelford roxo

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas