Polícia tenta identificar estuprador de passageira em imagens da câmera interna

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Agentes também pesquisam o banco de dados da polícia para verificar se algum suspeito se encaixa na descrição do criminoso uma vez que estupradores costumam ser reincidentes

Agência Estado

A Polícia Civil do Rio tenta identificar o homem que estuprou uma passageira e fugiu, na sexta-feira (3), por meio das imagens gravadas pela câmera interna do coletivo. A gravação começou a ser analisada neste domingo (5) por agentes da 17.ª Delegacia de Polícia (São Cristóvão), que investigam o crime, mas, por enquanto, o criminoso não foi identificado. As imagens só serão divulgadas depois de um tratamento para impedir que a vítima seja identificada. É possível que um retrato falado seja divulgado nesta segunda-feira (6).

Leia também:
Polícia investiga estupro dentro de ônibus na Avenida Brasil
Estupradores riam o tempo todo, diz namorado de turista norte-americana
Corpo é encontrado em mala na rua por moradores da zona norte de SP

Os agentes também pesquisam o banco de dados da polícia para verificar se algum suspeito se encaixa na descrição do criminoso feita pela vítima e por testemunhas, uma vez que estupradores costumam ser reincidentes, de acordo com as autoridades. 

O delegado Maurício Luciano de Almeida requisitará na segunda imagens das câmeras da prefeitura instaladas ao longo das vias que compõem o trajeto do ônibus para ver se existe gravação dos momentos em que o criminoso embarcou e desembarcou do veículo.

O estupro aconteceu por volta das 15h30 de sexta-feira. Na Favela do Muquiço, em Guadalupe, na zona norte da capital fluminense, um criminoso embarcou num micro-ônibus da linha 369 (Bangu-Carioca) e, armado, rendeu passageiros. Após recolher dinheiro e objetos pessoais, escolheu a vítima, de cerca de 30 anos, obrigou-a a seguir para a parte da frente do ônibus e a estuprou, enquanto o veículo seguia pela Avenida Brasil.

A mulher também foi agredida a coronhadas. O criminoso , que aparentava cerca de 25 anos, é "pardo", tem cabelo preto cortado ao estilo asa-delta e parecia estar drogado, desembarcou nas imediações do Instituto Nacional de Traumato-Ortopedia (Into), na zona portuária, e fugiu correndo.

Leia tudo sobre: GERALrio de janeiroestupradorestupro em ônibusriocoletivomicro-ônibuslinha 369

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas