Atendimento demorou mais de 30 minutos, diz amigo de ciclista

Por O Dia |

compartilhe

Tamanho do texto

Dentista morre após ser atropelado em Ipanema. Rafael Braune estava no grupo de ciclistas que fazia treinamento. Ele se queixava de dores no local, mas estava consciente

Reprodução internet
Vítima teria sido atingida pelo ônibus quando estava um pouco destacada dos outros

Um amigo do triatleta Pedro Nikolay, de 31 anos, que morreu após ser atropelado por um ônibus, na manhã desta terça-feira (30), em Ipanema, Zona Sul do Rio, prestou depoimento na 14ª DP (Leblon) sobre o acidente. Rafael Braune, que estava no grupo de ciclistas que fazia treinamento, afirmou que o socorro demorou cerca de 30 minutos para chegar. Segundo Rafael, a vítima se queixava de dores no local, mas estava consciente, chegando a dar o telefone da mãe para avisar do ocorrido.

De acordo com Rafael, Pedro fazia parte de um grupo de cerca de 50 pessoas que corria próximo ao canteiro central, local preferencial para ciclistas entre os horário de 5h e 6h30. Ainda segundo o atleta, os ciclistas contavam com a escolta de dois batedores e a vítima teria sido atingida pelo ônibus quando estava um pouco destacada dos outros.

O acidente ocorreu por volta das 6h na esquina da Avenida Vieira Souto com Rua Henrique Dumont. Pedro, que também era dentista, foi atingido por um ônibus da viação Vila Isabel que faz a linha 433 (Vila Isabel x Leblon). Segundo testemunhas, o veículo ultrapassou o sinal vermelho. Amigos disseram que Nikolay treinava para a seletiva do Ironman, que será realizada em 15 dias, na Espanha.

O consórcio responsável pelo veículo reconheceu o motorista do coletivo, após ser notificado pela Secretaria Municipal de Transportes. O funcionário, que não teve o nome identificado, é aguardado para prestar depoimento na delegacia.

Leia tudo sobre: Rio de JaneirociclistaônibusatropelamentoPedro Nikolay

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas