Ocupação para nova UPP no Cerro-Corá entra “na conta do Papa”

Por Raphael Gomide iG Rio de Janeiro |

compartilhe

Tamanho do texto

Como no filme Tropa de Elite, comunidade é retomada para fechar o cinturão de segurança, por conta da visita do Sumo Pontífice ao Rio, para a Jornada Mundial da Juventude. Francisco deve se hospedar no Alto da Boa Vista, a 4km dali

Severino Silva / Agência O Dia
Bope ocupa o Cerro-Corá, vizinho ao Cristo Redentor (ao fundo) e ao Sumaré, onde Papa deve ficar hospedado

“Bota na conta do Papa!”, foi um bordão popularizado pelo capitão Nascimento, personagem do filme Tropa de Elite. No longa-metragem de ficção, após uma cena de tortura de um traficante de favela durante operação preparatória para a visita do Papa João Paulo 2º ao Rio, em 1997, ele autoriza a execução do homem usando a frase.

Leia mais: ‘Medida Certa’ do Bope leva 13 'caveiras’ para emagrecer em spa da PM

Divulgação
Wagner Moura, o capitão Nascimento de 'Tropa de Elite', que popularizou o "bota na conta do papa"

O que muitos não sabem é que o bordão, celebrizado pelo controverso oficial vivido por Wagner Moura, foi de fato muito usado pelos policiais do Bope nessa época, anterior à visita do pontífice polonês à cidade – em diferentes circunstâncias e em brincadeiras na unidade.

Mais de 15 anos depois, às vésperas de uma nova visita de Papa para a Jornada Mundial da Juventude (de 23 a 28 de julho), a realidade do Rio de Janeiro é bem diferente, mas a região a ser guarnecida é a mesma, do Alto da Boa Vista. O programa de UPPs (Unidades de Polícia Pacificadora) – que retomou e ocupou permanentemente favelas antes dominadas pelo tráfico – resultou em considerável redução de homicídios, autos de resistência (mortes de civis por policiais) e também de agentes de segurança em serviço.

Leia mais: Bope supera traumas, evolui e chega aos 35 anos com nova imagem, de pacificador

Como são apenas 32 UPPs e ainda há muitas favelas ainda não pacificadas, uma nova “operação Papa” foi montada pela PM e a Secretaria de Segurança para garantir a tranquilidade do líder dos católicos durante sua estada no Rio. Pode-se dizer que a nova UPP vai entrar “na conta do Papa”. 

André Luiz Mello / Agência O Dia
Bope ocupou o Cerro-Corá em operação para instalar UPP antes da visita do Papa Francisco ao Rio

Porque Francisco deverá ficar hospedado na sede da Arquidiocese do Rio de Janeiro, no Sumaré, Alto da Boa Vista, a PM ocupa desde esta manhã, com 400 homens, o morro Cerro Corá, no Cosme Velho (zona sul do Rio), a 4km pelo Alto da Boa Vista. A área é a mesma 

A ação foi executada por unidades do COE (Comando de Operações Especiais), em especial pelo Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais), Batalhão de Choque, Grupamento Aeromóvel e BAC (Batalhão de Ações com Cães). Não houve tiroteios. O objetivo é fechar o cinturão de segurança do Rio para a visita.

Leia ainda: Faro de cães da PM multiplica por 20 as apreensões de drogas e armas no Rio

Uma nova UPP, com cerca de 160 policiais será instalada no local em um mês, segundo a PM. O Cerro-Corá fica no morro entre as galerias do túnel Rebouças e é próximo ao Corcovado, um dos principais pontos turísticos da cidade. Segundo a PM, a ação se deve à visita do Papa, ao aumento de turistas na área e ao fato de que traficantes e criminosos comuns vinham se refugiando no local, ainda estava à margem do programa de UPP.

Apesar de parecer rotina, a operação é considerada estratégica pelo governo. Nesta manhã, até o governador Sérgio Cabral esteve no quartel-general da PM para se reunir com o secretário de Segurança, José Mariano Beltrame, e o comando da corporação, e tratar da ação, que vai entrar para “a conta do Papa”.

Leia também: Elite da PM faz exercício no Corcovado contra sequestros em grandes eventos

André Luiz Mello / Agência O Dia
Operação conjunta do COE ocupou o Cerro-Corá para fechar cinturão de segurança para o Papa

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas