Crime causou revolta nos moradores da cidade tentam invadir delegacia em Barra do Piraí, no sul do Estado do Rio de Janeiro

O Dia

Uma mulher foi presa suspeita de sequestrar e matar uma criança de seis anos em Barra do Piraí, no Sul Fluminense, nesta segunda-feira. A criança foi encontrada morta dentro de uma mala na casa da suspeita. O enterro de João Felipe Eiras de Santana Bicharra será às 10h desta terça-feira, no Cemitério Recanto da Paz, no município.

Leia também: Menina de seis anos desaparece de dentro de casa na baixada

O menino João Felipe Eiras
Reprodução / Facebook
O menino João Felipe Eiras

De acordo com a 88ª DP (Barra Mansa), João foi levado pela manicure Suzana de Oliveira da Escola Medianeira, uma das mais tradicionais da cidade, na tarde de ontem. Suzana teria confessado o crime. A população do bairro ficou revoltada quando soube do caso e cercou a delegacia. Ela seria transferida para outro local, que não foi divulgado.

A suspeita trabalhava para a mãe da criança, uma empresária do setor imobiliário bastante conhecida na região. Quando a família soube do desaparecimento do garoto, entrou em contato com a polícia, que descobriu que os dois haviam ido para um hotel no Centro do município. O responsável pela recepção disse que ela não ficou muito tempo no local e que a criança parecia desacordada.

Após ser encontrada em sua casa graças a informação de um táxista que a levou para o local, a manicure negou ter sequestrado o menino. A suspeita foi levada para a delegacia, onde continuou negando o envolvimento no sequestro, mas policiais acabaram encontrando a criança, já morta, dentro de uma mala que estava na casa da mulher. Diante dos fatos, a manicure teria confessado a autoria do crime.

Suzana teria dito a um policial que participou de sua prisão que havia levado a criança porque estava com dificuldades financeiras e que pediria um resgate por ela. A polícia não descarta a hipótese de crime passional.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.