Beira-Mar é condenado a 80 anos de prisão por homicídio praticado em 2002

Por O Dia | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Traficante planejou e coordenou de dentro do presídio de segurança máxima Bangu 1 a execução de três integrantes da própria quadrilha

Alessandro Costa / Agência O Dia
Traficante disse que não ordenou execução de dupla na Favela Beira-Mar

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, foi condenado na madrugada desta quarta-feira a 80 anos de prisão por crime de homicídio qualificado praticado em 2002. Esta é a pena máxima, mas a defesa afirma que irá recorrer.

O traficante afirmou, durante o julgamento no Tribunal de Justiça do Rio, que não deu ordens para matar Ednei dos Santos, o Pipico ou Velho, e Alexandre Nunes, o Playboy, em uma reunião do tráfico na Favela Beira-Mar, em Duque de Caxias, em 2002.

Entenda o caso: Fernandinho Beira- Mar é julgado por homicídios

"Só queria dar um couro neles, pois 10 pessoas, incluindo inocentes, morreram por causa deles", afirmou Beira-Mar. O traficante contou que pediu, de dentro de Bangu 1, que os dois entregassem suas armas para o tráfico local. Durante a entrega, Pipito teria ficado com uma pistola na cintura e efetuado diversos disparos, matando 10 pessoas.

Leia também:
Traficante Fernandinho Beira-Mar está no Rio para audiência sobre homicídios
Medo de jurados de Caxias leva Justiça a mudar processo de Beira-Mar para o Rio
Beira-Mar é transferido para presídio de Catanduvas no Paraná

Perguntando sobre como teria conseguido os celulares, o traficante revelou que conseguia os aparelhos dependendo do dia do plantão. Um terceiro homem, Adailton Cardoso de Lima, conseguiu fugir da reunião. Ele seria testemunha de acusação do traficante, mas está desaparecido desde o ocorrido. Beira-Mar também é acusado de tentar matar Adailton.

"O que aconteceu é que houve uma briga de facções na comunidade. Eu queria checar o que estava acontecendo e consegui telefones clandestinos para isso", revelou o traficante. Beira-Mar disse ainda que pretendia expulsar Velho e Playboy da favela, já que eles não eram mais de sua confiança. Perguntando sobre fazer parte de uma facção criminosa, o traficante foi direto: "Minha facção criminosa sou eu. Tive envolvimento com o tráfico no passado, por apenas 4 anos, vendendo drogas na Favela Beira-Mar", disse.

Segundo o Tribunal de Justiça, as condenações de Beira-Mar já somavam 120 anos. Apenas no Estado do Rio eram 69. Com o veredito desta terça, a soma chegou a 200 anos de prisão.

Na manhã desta quarta-feira, o traficante embarcou em um avião penitenciário no Aeroporto Santos Dumont e voltou para o presídio de Catanduvas, no Paraná, onde permanecerá preso.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas