Beira-Mar chega de helicóptero para julgamento no Rio de Janeiro

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Traficante é acusado de planejar e coordenar de dentro do presídio de segurança máxima, Bangu 1, a execução de três pessoas em 2002

Agência Estado

O traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, chegou de helicóptero, por volta de 11h desta terça-feira(12), ao Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, para participar da audiência judicial em que responde por duplo assassinato e uma tentativa de homicídio ocorrido em 2002.

Leia também:
Fernandinho Beira- Mar será julgado nesta terça por homicídios

Luiz Roberto Lima/Futura Press
Beira-Mar chega de helicóptero para seu julgamento Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, nesta terça-feira

Preso na Penitenciária Federal da Catanduvas, no Paraná, Beira-Mar chegou ao Rio na tarde de segunda-feira (11), e foi levado ao presídio de segurança máxima Laércio da Costa Pelegrino (Bangu 1), na zona oeste, onde pernoitou. A audiência no Tribunal de Justiça, no centro da cidade, começou nesta tarde sob forte esquema de segurança. Não há previsão para acabar.

Neste processo, Beira-Mar é acusado de ter ordenado por meio de um celular, de dentro de Bangu 1, onde estava preso, os assassinatos de Antonio Alexandre Vieira Nunes, Edinei Thomaz Santos e Adailton Cardoso de Lima. Os três integravam a facção comandada pelo traficante, o Comando Vermelho. Apenas Adailton conseguiu sobreviver.

O crime teria sido motivado por um "acerto de contas" dentro da própria quadrilha. Interceptações telefônicas feitas na época comprovaram que as três vítimas teriam executado três pessoas sem a "autorização" de Beira-Mar.

Mais:
Traficante Fernandinho Beira-Mar está no Rio para audiência sobre homicídios
Medo de jurados de Caxias leva Justiça a mudar processo de Beira-Mar para o Rio
Beira-Mar é transferido para presídio de Catanduvas no Paraná

As mortes comandadas pelo celular ocorreram em 27 de julho de 2002, dentro da Favela Beira-Mar, em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, "berço" do traficante. O processo tramita na 4ª Vara Criminal de Duque de Caxias, mas foi transferido para o Tribunal de Justiça, na capital, após componentes do júri terem informado ao juiz que estavam com medo de participar da sessão.

Leia tudo sobre: beira-marrio de janeirotráfico de drogas

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas