Mangueira revive passado de terror com luto por morte de traficante

Por O Dia - Paloma Savedra e Maria Inez Magalhães |

compartilhe

Tamanho do texto

Comunidade voltou a conviver com cenas típicas do período em que era controlada pela tráfico de drogas. Após morte de 2K, bandidos roubaram pistola de policial da UPP

Apesar de ser considerada pacificada desde 2011, a Mangueira voltou ontem a conviver com cenas típicas do período em que era controlada pelo tráfico. Bandidos chegaram a render e roubar a pistola de um policial em serviço na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) Tuiuti, onde mataram um rapaz.

Ainda mandaram fechar o comércio na Mangueira. Corpo carbonizado também foi encontrado em um carro na área da UPP da comunidade. A ordem para as lojas fecharem teria sido uma represália ao assassinato de Acir Ronaldo Monteiro da Silva, o 2K, 42 anos. Ele foi morto às 23h de domingo, em frente ao condomínio de luxo onde morava há menos de um mês no Recreio.

Paulo Araújo / Agência O Dia
Apesar da promessa de segurança da UPP, até o comércio em frente à sede da polícia foi fechado

A vítima, que levou oito tiros, foi acusada de invadir a quadra da Mangueira, em março de 2012, para tentar destituir o presidente da escola, Ivo Meirelles. Acir cumpria regime semiaberto desde 2010. Ele era investigado por envolvimento com o tráfico em dois inquéritos da 17ª DP (São Cristóvão).

Morte após roubo

Poucas horas após o assassinato de 2K, traficantes roubaram a arma do soldado. Chegaram de moto e surpreenderam o agente, que estava sozinho. Segundo a PM, os outros policiais faziam ronda. Poucos metros adiante, os bandidos teriam matado Jefferson Fernandes de Oliveira. A polícia ainda não sabe se a arma do PM foi usada. Jefferson morreu no Hospital Souza Aguiar.

O clima ficou tenso na região. O comandante da UPP da área, capitão Leonardo Nogueira, disse que garantiu segurança para os comerciantes abrirem as portas, mas não os convenceu: “Estamos aqui com o patrulhamento a pé e com viaturas, para garantir a segurança das pessoas”, assegurou o oficial.

Ele disse ainda que não acredita na ligação da morte do 2K com o roubo na UPP. “A Polícia Civil e nossa inteligência estão trabalhando para que esses homens sejam identificados” explicou Nogueira. A polícia investiga se a ação dos criminosos estaria vinculada à disputa pela presidência da escola de samba.

Mesmo drama enfrentado no mês de abril

É a segunda vez que traficantes da Mangueira mandam fechar o comércio da região após a pacificação. Em abril, após a morte de Wagner da Silva Assunção, o WG, assassinado no Jacarezinho, e de um outro bandido da Mangueira, homens circularam na comunidade ordenando o luto. O mesmo já aconteceu no Alemão e na Cidade de Deus, ambas áreas pacificadas.

Leia tudo sobre: uppmangueirario de janeiromorte de traficante

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas