Nove pessoas são baleadas em São Gonçalo

Por Agência Estado |

compartilhe

Tamanho do texto

Disparos foram feitos em duas ocasiões diferentes na noite de terça e na madrugada desta quarta-feira, na região metropolitana do Rio de Janeiro

Agência Estado

Nove pessoas foram baleadas em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio, na noite de terça-feira (12) e madrugada de quarta-feira, em dois episódios distintos durante o carnaval na cidade.

Leia também: Vigilante é assassinado em entrada de shopping em São Gonçalo 

No primeiro episódio, sete pessoas ficaram feridas após um homem não identificado disparar contra a multidão que se divertia num bloco de carnaval na Praça de Santa Isabel. O soldado da Polícia Militar (PM) Felipe Paes de Lima foi atingido. Ele foi levado para o Hospital Estadual Alberto Torres, em São Gonçalo, e passa bem, segundo a PM.

Outros quatro feridos foram levados para o mesmo hospital, enquanto dois foram atendidos no posto de saúde próximo. Duas pessoas seguem internadas - Igor Patrick Sodré, de 19 anos, cujo estado de saúde é estável, e Maria José Ferreira de França, de 32 anos, cujo estado de saúde é grave, porém estável, disse o hospital.

As investigações estão a cargo da 75ª Delegacia de Polícia (DP), em Rio do Ouro. Segundo informações da PM, o crime ocorreu à 0h40, mas até a tarde desta quarta-feira, nenhum suspeito havia sido preso. Os agentes estão ouvindo testemunhas e buscando imagens de câmeras de segurança que possam ter flagrado o crime.

Outro caso
Por volta das 22h de terça-feira, na rua Comandante Ari Parreiras, no bairro Paraíso, também em São Gonçalo, o policial civil aposentado Sebastião Rangel de Araújo, de 59 anos, baleou um adolescente de 14 anos com um tiro na perna esquerda; e um jovem de 21 anos, com um tiro no braço. O policial aposentado foi preso em seguida e autuado por tentativa de homicídio.

Segundo a PM, ele fez os disparos a esmo, ao descer de um ônibus. Não foi confirmado se estava alcoolizado, mas, segundo os policiais que o prenderam, ele afirmou não se lembrar de nada.

O policial aposentado foi transferido para o presídio de segurança máxima de Bangu 2.

Leia tudo sobre: rio de janeirosão golçalotiros

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas