Menino atropelado em ação contra o crack no Rio estava fora de casa há nove dias

Por O Dia | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Segundo um tio, o pai do menino já morreu e a mãe também é usuária de drogas. Garoto de 10 anos foi atropelado ao fugir de agentes em uma operação contra o crack na zona norte

O menino de 10 anos atropelado na manhã desta quinta-feira (07), na avenida Brasil, na entrada da Ilha do Governador, na zona norte do Rio de Janeiro, não voltava para casa há nove dias. Ele morreu quando fugia de agentes da Polícia Militar e da secretaria municipal de Assistência Social que faziam uma operação contra o crack

O acidente: Menino de 10 anos foge de agentes da PM e morre atropelado no Rio

Osvaldo Praddo / Agência O Dia
Menino teria tentado fugir de assistentes sociais e foi atropelado na av. Brasil, no Rio

De acordo com a Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS), o tio da vítima informou que um irmão do menino, de 14 anos, esteve na cracolândia da entrada da Ilha nesta quarta-feira para tentar convencer o menino a retornar para casa, de onde ele saiu há 9 dias.

O tio disse ainda que o pai da vítima já morreu e que a mãe também é usuária de drogas. A família chegou a ser cadastrada no programa Bolsa Família, mas perdeu o benefício por não comparecer ao Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) do município e não apresentar frequência escolar dos filhos.

Segundo a secretaria, o menino era morador da comunidade Vila Cruzeiro, na Penha. O órgão informou que toda a estrutura da secretaria foi utilizada para identificar a vítima e localizar a família. Equipes da SMAS levaram a mãe e o tio da criança ao Instituto Médio Legal para a identificação e liberação do corpo. A SMAS declarou ainda que está prestando auxílio psicológico aos familiares, que vivem em situação de extrema pobreza.

Leia tudo sobre: crackmenino atropeladodrogasrio de janeiro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas