Prefeitura e grupos voluntários aproveitam domingo de sol para intensificar limpeza e entrega de doações às famílias afetadas. Chuva causou duas mortes no distrito

Agente voluntário da Cruz Vermelha carrega doações em posto no Rio
Divulgação/Cruz Vermelha
Agente voluntário da Cruz Vermelha carrega doações em posto no Rio

A Prefeitura de Duque de Caxias e entidades voluntárias aproveitam o dia de sol neste domingo para intensificar o trabalho de limpeza e de apoio às famílias afetadas pelas fortes chuvas ocorridas na última semana na região. Há um trabalho de mutirão em andamento, informou a Defesa Civil do município.

Como ajudar:  Cruz Vermelha e Metrô recolhem doações para vítimas das chuvas

Prefeitura de Caxias recebeu e ignorou mapeamento de 98 áreas de risco

Até hoje, como consequência das chuvas, foram contabilizadas duas mortes e 118 desabrigados, que estão instalados, atualmente, em dois abrigos. "Apesar do trabalho contínuo de limpeza da cidade, ainda não houve tempo suficiente para que tudo volte à normalidade", informou o tenente Anselmo Suhett da Defesa Civil de Caxias.

A estimativa é que 100 mil famílias do município tenham sido prejudicadas pelas consequências das chuvas.

Veja imagens da destruição da Baixada Fluminense:

Doações

A Cruz Vermelha montou 11 pontos de recolhimento e distribuições de doações para as vítimas das enchentes na Baixada Fluminense. De acordo com a voluntária Regina Celis da Silva o movimento é grande desde sexta-feira (4).“Estamos precisando de alimento, principalmente não perecíveis, de colchonetes, roupas de bebê e produtos de higiene,” disse.

Prefeito de Caxias anuncia ajuda de R$ 5 mil para famílias atingidas pela chuva

Um dos pontos é a Igreja Metodista Wesleyana, em Xerém, em Caxias, um dos mais atingidos pela enxurrada de quinta-feira (2). “Sempre é bom esse pouquinho para pessoas que perderam tudo. O pessoal saiu de Niterói, Nova Iguaçu, Realengo, e nós nos juntamos e fizemos essa primeira doação, a gente pretende ajudar mais essas pessoas. Nós trouxemos alimento, água potável, material de limpeza, higiene pessoal e trouxemos algumas coisas para as crianças também", contou o presidente do moto-clube evangélico Êxodos, Mauro de Oliveira.

*com AE e Agência Brasil


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.