Chuva forte causa deslizamentos e deixa um morto na Baixada Fluminense

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Casas e ruas estão alagadas em Xerém, em Caxias, Angra dos Reis e Região Serrana; Defesa Civil confirma uma morte, 8 desaparecidos, 1262 desalojados e 2 mil evacuados

A chuva forte que atingiu o Rio de Janeiro desde a noite de quarta-feira (2) causou deslizamentos e deixou casas e ruas alagadas em diversos pontos do Estado. As regiões mais afetadas pelas águas foram Xerém, no distrito de Duque de Caxias, Angra dos Reis e municípios da área serrana. Até o momento, uma pessoa foi encontrada morta em Xerém. Há ainda 8 desaparecidos, 1.262 desalojados e 2 mil evacuados nas áreas atingidas. As informações são da Defesa Civil Estadual - veja balanço das chuvas.

Leia também: Chuva deixa destruição, morte e centenas de desabrigados em Xerém

Somente na região de Angra dos Reis, desde a noite desta quarta-feira, 160 pessoas ficaram desabrigadas. De acordo com diretor do departamento geral de Defesa Civil do Estado do Rio, Coronel Douglas Júnior, 320 pessoas foram desalojadas na região, ou seja, tiveram que deixar suas casas temporariamente, no município. Outros 2.380 moradores de áreas de risco receberam alertas para deixar suas casas. Nove edificações foram destruídas e 60 danificadas.

O Hospital da Praia Brava, em Angra, foi parcialmente interditado na manhã desta quinta, por causa das chuvas que atingem a região. No início desta tarde faltava luz no hospital e as ruas do entorno estavam alagadas.

Em Duque de Caxias, o prefeito Alexandre Cardoso disse que há de seis a oito desaparecidos no município. O Corpo de Bombeiros participa de buscas na área de Xerém, distrito do município da Baixada Fluminense.

Ainda segundo Cardoso, a cidade conseguiu do governo federal recursos de R$ 25 milhões a R$ 35 milhões para recuperação das áreas atingidas pela enxurrada no distrito. Cardoso afirmou que vai assinar um termo de conduta junto ao Ministério Público para transparência no uso do dinheiro. “Será criada a indenização social para os moradores que perderam suas casas. É mais eficiente do que o aluguel social”, garantiu o prefeito, decretou estado de emergência no distrito. Há previsão de mais chuvas fortes para esta noite.

Veja imagens da destruição em Duque de Caxias:

Ponte em Café Torrado, em Xerém. Estrutura foi destruída na chuva, mas passagem de pedestre foi liberada nesta terça-feira (8). Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressPonte em Café Torrado, em Xerém. Estrutura foi destruída na chuva, mas passagem de pedestre foi liberada nesta terça-feira (8). Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressPonte em Café Torrado, em Xerém. Estrutura foi destruída na chuva, mas passagem de pedestre foi liberada nesta terça-feira (8). Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressMoradores trabalham na retirada de destroços da enxurrada. Foto: Foto de Severino Silva / Ag. O DiaMulheres usam a água da enchente para lavar as roupas. Foto: Severino Silva / Ag. O DiaNa foto, estragos deixado pela chuva e pelo rompimento da represa. Foto: Foto de Severino Silva / Ag. O DiaNa foto, estragos deixado pela chuva e pelo rompimento da represa. Foto: Foto de Severino Silva / Ag. O DiaMoradora caminha entre os destroços casas deixados pela chuva e pelo rompimento da represa. Foto: Severino Silva / Ag. O DiaMorador olha pela janela da casa a devastação causada pelas chuvas . Foto: Foto de Severino Silva / Ag. O DiaMuitas casas estão em áreas de risco. Na foto, bairro do Rosário. Foto: Joanna Medeiros / O Diário de TeresópolisRuas alagadas nesta sexta-feira em Xerém, em Duque de Caxias, após fortes chuvas. Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressCarro é resgatado por guindaste após chuvas que atingiram Xerém. Foto: Severino Silva / Ag. O DiaMoradores têm de enfrentar alagamentos para se deslocarem em Xerém. Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressCarros ficam debaixo d´água. Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressMoradores caminham por ruas alagadas em Xerém nesta sexta-feira. Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressMoradora começa a limpeza de sua casa que foi alagada em Xerém. Foto: Luiz Roberto Lima/Futura PressForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo / Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo / Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/Agência O DiaAlexandre Cardoso, prefeito de Duque de Caxias, visita região com coronel Mário Sérgio, ex-comandante da PM e  secretário de segurança. Foto: Osvaldo Praddo/Agência O DiaForte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Forte chuva deixou famílias ilhadas e desalojadas em vários pontos da Baixada; a região mais afetada foi Xerém, em Duque de Caxias. Foto: Osvaldo Praddo/ Ag. O Dia Alagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá
. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá
. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá
. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá
. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá
. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá. Foto: José Carlos Cacau / Diário de TeresópolisAlagamento em Teresópolis, na região serrana do Rio. Sirenes foram acionadas nos bairros Perpétuo, Vale da Revolta e Caxangá. Foto: José Carlos Cacau / Diário de Teresópolis

O governador do Rio, Sérgio Cabral criou nesta quinta-feira um gabinete de crise no Centro Estadual de Gestão de Desastres (Cestad), na Praça da Bandeira. De lá, o secretário de Defesa Civil, Sérgio Simões, vai acompanhar as ocorrências no Estado do Rio de Janeiro e definir um plano de trabalho com as secretarias de Saúde, Obras, Assistência Social, Educação, Meio Ambiente e com o Departamento de Recursos Minerais (DRM). Nesta sexta, Cabral se reunirá com o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, para definir medidas emergenciais.

Acompanhe a previsão do tempo para a sua cidade

Além da forte chuva, o que agravou a situação na região de Caxias - a mais atingida até o momento - foi o transbordamento dos rios Capivari e Saracuruna. De acordo com o Corpo de Bombeiros, a vítima fatal é um homem adulto ainda não identificado. Ele foi encontrado nos escombros de uma casa que desmoronou na madrugada.

Uma ponte ruiu, casas foram alagadas, carros encobertos e famílias estão ilhadas na região. Há informações também de que uma represa do Cedae teria acumulado as águas da chuva que desciam de Petrópolis e Teresópolis, o que teria forçado e rompido uma das barragens.  

Na área de Xerém, os bairros mais atingidos são São Jorge e Nova Belém. Moradores perderam móveis, alimentos, roupas e utensílios. De acordo com as primeiras informações, cerca de 200 pessoas estão desabrigadas.

Os afetados estão sendo levados para um abrigo na praça da Mantiqueira, no centro da cidade.

Angra dos Reis

Pelo menos duas pessoas ficaram feridas e cerca de 40 estão desabrigadas em Angra dos Reis, na Costa Verde fluminense. Ainda chovia forte em algumas regiões do município nesta madrugada. A região oeste da cidade foi a mais atingida, segundo a Defesa Civil. O município está em estado de alerta há quase 10 horas.

De acordo com o superintendente da Defesa Civil de Angra dos Reis, Francisco Júdice, quatro residências desabaram em Santa Rita do Bracuí durante a chuva. Dos dois feridos, uma era gestante. Eles tivram ferimentos leves. As vítimas estão sendo acolhidas na Escola Municipal Prefeito José Luis Ribeiro Reseck, no Frade.

Neste mesmo bairro, o muro de uma casa desabou no Morro da Constância. A Defesa Civil Estadual está dando apoio enviando colchonetes e cobertores.

O maior volume pluviométrico registrado em Angra ocorreu entre os bairros de Bracuí e o Parque Mambucaba, na região oeste do município. Neste último, foram registrados 100mm de água em pouco mais de uma hora de chuva. Ruas e casas ficaram alagadas. Muitos bairros estão sem luz. A excessão seria a vila residencial de Praia Brava, alimentado pela Usina Nuclear de Angra.

Região Serrana

A chuva forte também deixou estragos na região da serra. Em Petrópolis, por exemplo, segundo a Defesa Civil, houve deslizamento de terras no bairro Alto Indepência. Até o momento, não há vítimas.

O órgão informou ainda que os rios Bingen e Piabanha chegaram a transbordar em vários pontos alagando os bairros localizados em suas margens. Já em Teresópolis, rio Paquaquer também transbordou e alagou bairros. O sistema de alerta da Defesa Civil foi acionado três vezes, com sirenes, nesta madrugada.

Barreiras caíram ao longo da rodovia BR-040 entre os km 87 e km 88, sentido Rio, além dos km 95 e km 93, sentido Juiz de Fora, em Minas Gerais. O trânsito ficou em meia pista nesses trechos.

Há também interdição na BR-101, conhecida como Rio-Santos, na altura do Km 578, em Paraty, devido ao tombamento de uma carreta.

*com O Dia, Agência Brasil e AE

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas