Avó de menina que teve morte cerebral ainda acredita em milagre

'Espero que em 2013 ainda possa ver minha neta com vida', diz Célia Santos. Menina Adrielly, de 10 anos, foi vítima de bala perdida e esperou 8 horas por uma cirurgia no Rio

O Dia - Adriana Cruz |

Agência O Dia
Menina de 10 anos foi baleada na cabeça durante noite de Natal

A avó da menina Adrielly dos Santos Vieira, de 10 anos, Célia Regina dos Santos, de 53 anos, fez um desabafo nesta segunda-feira e disse que ainda acredita que o quadro da criança, que teve morte cerebral confirmada neste domingo, seja revertido. "Estamos à espera de um milagre. Espero que em 2013 ainda possa ver minha neta com vida", revelou Célia.

Leia mais:  Médico diz que faltou a plantão por discordar de escala de hospital

Adrielly estava desde quinta-feira em estado grave no CTI do Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio, após ser transferida do Salgado Filho, no Méier, onde esperou oito horas para ser operada. 

A criança havia sido atingida por uma bala perdida na comunidade Urubuzinho, em Pilares, zona norte do Rio, e ficou no hospital sem atendimento na noite do Natal. O neurocirgurgião Adão Crespo Gonçalves, que estava de plantão na ocasião, faltou ao trabalho.

“Infelizmente, minha filha faleceu. Eu soube às 17h (de domingo), quando o pediatra me chamou na hora da visita. Ela ainda respira no aparelho, mas teve morte cerebral. Não há mais nada a se fazer, estou transtornado”, afirmou Marco. No fim da noite, a secretaria municipal de Saúde confirmou a morte cerebral.

Leia outras notícias sobre o caso:

Prefeito diz que demitirá médico que faltou a plantão de hospital no Rio
O caso: Menina é atingida por bala perdida no Rio
Leia também: Pai de menina baleada diz que vai processar prefeitura
Conselho de medicina vai apurar demora em atendimento de vítima de bala perdida

    Leia tudo sobre: morte cerebralbala perdidario de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG