Turistas do interior de São Paulo haviam acabado de chegar ao hotel na Barra da Tijuca quando ocorreu o acidente

O Dia

Os policiais que investigam a morte do bebê em um hotel na Avenida das Américas, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio, afirmam que o caso pode ser tratado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar. A criança de um ano e quatro meses caiu da varanda de uma suíte do quarto andar do Hotel Paradiso All Suítes na fim da tarde desta sexta-feira, quando ela e os pais chegavam ao local.

No fim da noite, peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estiverem no quarto. Na perícia, foi constatado que há espaço suficiente entre as grades para uma criança do tamanho da vítima passar. O laudo sai em 30 dias.

A mãe da criança está internada no Hospital Lourenço Jorge, na Barra da Tijuca. Abalada, ela teve que ser sedada. Ela e o pai não tiveram os nomes revelados pela polícia. O casal do interior de São Paulo tinha acabado de chegar ao Rio para passar o réveillon. Pouco depois de entrar na suíte, a criança teria se dirigido para a varanda e caído ao atravessar a grade de proteção. O bebê ainda foi levado para o hospital, mas não resisitiu.

Os pais da vítima, o carregador de malas e o gerente do hotel prestaram depoimento na 16ª DP (Barra da Tijuca). Um inquérito foi instaurado para investigar os motivos da queda. Até o início da manhã deste sábado, o delegado Robson Gomes não tinha sido localizado para comentar o caso. Segundo um inspetor, o registro da ocorrência e os procedimentos para a investigação já foram tomados.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.