Casal desaparecido em São Gonçalo teve morte acidental, diz delegado

Corpos foram encontrados na garagem da casa que o casal estava construindo para morar após o casamento. Os dois teriam ingerido grande quantidade de monóxido de carbono

O Dia |

Reprodução
Cartaz feito pela família quando buscava pistas do casal

A morte de Diogo Moreira Quadros, de 23 anos, cabo da Marinha, e a estudante Verônica Souza de Leão Mendes, de 21 anos, foi acidental. Segundo Henrique Viana, delegado-adjunto da 73ª DP (Neves), o casal estaria namorando dentro do carro, com o ar-condicionado ligado. O veículo fechado e garagem pequena teriam colaborado para que uma grande quantidade de monóxido de carbono fosse ingerida pelo casal.

"Um parente da Verônica passou pela casa e sentiu um cheiro ruim vindo dagaragem .A polícia foi acionada e encontrou os dois corpos na garagem, em estado avançado de decomposição", disse o policial.

De acordo com ele, o carro estava estacionado na garagem da casa que eles montavam para morar após o casamento, na Rua Doutor Pio Borges, número 258, no bairro da Covanca, também em São Gonçalo.

Verônica e o Diogo saíram de São Gonçalo para fazer compras em um supermercado em Niterói, que era parte do enxoval de casamento dos dois, marcado para dia 24. Câmaras de segurança flagraram o momento em que o casal passou pelo caixa e deixou o mercado por volta das 21h37, no carro de Diogo. A família chegou a oferecer recompensa de R$ 2 mil por informações que levassem ao casal.

    Leia tudo sobre: casalsão gonçalorio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG