Cabo que sustentava Bruno da Silva Mendes, de 32 anos, arrebentou durante escalada neste domingo (2). Uma mulher acompanhava vítima e foi resgatada com vida

A Federação de Montanhismo do Estado do Rio de Janeiro (Femerj) fará uma vistoria, nesta segunda-feira, no local do acidente que matou o geofísico Bruno da Silva Mendes , de 32 anos, no Morro do Pão de Açúcar. Ele morreu neste domingo (2), durante uma escalada.

Entenda:  Cabo de alpinista que morreu ao tentar escalar Pão de Açúcar se soltou

Geofísico Bruno da Silva Mendes, 32 anos, que morreu durante a escalada
Reprodução
Geofísico Bruno da Silva Mendes, 32 anos, que morreu durante a escalada


Segundo os bombeiros, o cabo que sustentava Bruno e uma mulher rompeu e ele caiu de uma altura de 70 metros. A mulher que acompanhava o rapaz foi resgatada com vida. Ela foi encaminhada para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. De acordo com a Secretaria municipal de Saúde, a vítima sofreu pequenas escoriações e o estado dela é estável. 

Resgate

Um helicóptero do Grupamento de Operações Aéreas (GOA), do Corpo de Bombeiros, chegou ao local às 15h30. O resgate levou uma hora, porque o alpinista estava num local de difícil acesso. Os bombeiros chegaram a deixar um médico com o alpinista, enquanto resgatavam duas mulheres que se afogavam na Praia de Copacabana.

O alpinista foi encontrado desacordado. O helicóptero pousou na Escola de Educação Física do Exército, na Urca. O rapaz chegou a ser levado para o Hospital Rocha Maia, mas não resistiu aos ferimentos.

*com O Dia e AE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.