Mercado que explodiu na zona norte do Rio não tinha aval dos bombeiros

Vazamento de gás é hipótese para acidente no Multi Market que deixou sete feridos; quatros pessoas foram internadas em estado grave

O Dia |

O supermercado Multi Market, em Irajá, onde ocorreu explosão de gás na manhã de ontem, funcionava sem autorização do Corpo de Bombeiros. De acordo com acorporação, o estabelecimento não cumpriu exigências do laudo obrigatório de segurança contra incêndio e pânico. O acidente na padaria, às 7h10, deixou sete feridos, quatro em estado grave.

As vítimas foram: o gerente da loja, um cliente, um açougueiro e um confeiteiro. Todos sofreram escoriações e queimaduras. “Ainda não sabemos a causa da explosão”, disse o tenente-coronel dos Bombeiros Marcelo Leite. O mercado foi inaugurado há dez meses.

Cena de horror:  'Vi funcionários e clientes correndo com o corpo em chamas'

Ale Silva/Futura Press
Vítimas foram levadas para os hospitais Getúlio Vargas e Carlos Chagas, no Rio de Janeiro


O impacto destruiu a portaria de vidro. A Estrada Coronel Vieira ficou fechada por cerca de seis horas. Testemunhas contam que as vítimas saíam do mercado com o corpo em chamas . “Funcionários e clientes corriam com o corpo e cabelo em chamas e a pele solta. As roupas chegavam a grudar no corpo e foram arrancadas das pessoas. O gerente e o açougueiro ficaram de cueca. Nunca vi isso”, contou o assessor parlamentar Fábio Cunha, 45 anos.

Feridos foram levados para os hospitais Getúlio Vargas, na Penha, e Carlos Chagas, em Marechal Hermes. O açougueiro Luciano Rodrigues de Souza, 28 anos, sofreu queimaduras de 1º e 2º graus nos braços e pernas. A família do rapaz estava indignada. Segundo eles, Luciano foi retirado da sala de cuidados intensivos da unidade e permaneceu no corredor do hospital.

Cheiro de gás

“Ele correu o risco de pegar uma infecção e está com o rosto desfigurado. Queremos sua transferência”, desabafou a cunhada de Luciano, Luana Fioravanti, 26 anos. Muito abalada, a esposa do açougueiro contou que o marido queria sair do emprego. “Ele reclamou que estava sentindo forte cheiro de gás”, disse a vendedora Daiana Angélica Pereira, 27 anos, que tem dois filhos com a vítima.

O caso: Explosão de gás deixa sete feridos em supermercado na zona norte do Rio

Luciano, que estaria com 45% do corpo queimado, disse a seus familiares que foi junto do gerente verificar vazamento de gás. Ao fechar o segundo botijão, houve a explosão. “Enquanto Luciano foi ver o gás, eu e um amigo fomos para o frigorífico. De repente, a explosão. Escapei por um milagre”, contou Gualberto Martins, 48.

Laudo contra incêndio é obrigatório

Todas as empresas devem ter laudo técnico que ateste as condições de funcionamento e manutenção das medidas de segurança contra incêndio e pânico. O documento é obrigatório para que o Corpo de Bombeiros conceda o Certificado de Aprovação e autorize o funcionamento do estabelecimento.

A Rede Multi Market não foi localizada para comentar a informação dos bombeiros de que não está regularizado. Em nota, informou que está colocando todos os seus esforços para “minimizar os danos causados e não se furtará a prestar o atendimento necessário”. O mercado tem alvará da prefeitura para funcionar.

*reportagem de Diego Valdevino e Maria Luísa Barros

    Leia tudo sobre: explosão de gásvazamentosupermercadoirajário de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG