Plano para combate ao crack no Rio sai em 2 semanas

Ministério da Saúde afirmou que vai ajudar a prefeitura no plano de internação involuntária de dependentes

Agência Estado |

Agência Estado

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, manifestou apoio à internação involuntária de adultos dependentes de crack e afirmou que a Pasta vai ajudar a prefeitura do Rio na preparação do protocolo para tratamento dos pacientes. A decisão foi tomada depois de uma reunião nesta quinta-feira entre o ministro e o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB). O plano está previsto para ser apresentado em duas semanas.

"Nos casos em que há risco de vida, a internação involuntária é um recurso que pode ajudar. Mas a estratégia deve ser feita de forma adequada, respeitando a lei, com avaliação médica", disse o ministro. Padilha também prometeu repassar os recursos "que forem necessários" para ampliar a rede de atendimento a dependentes de crack no município.

Leia também: 
Operação retira usuários de crack das margens da avenida Brasil
Paes pede apoio federal para internação compulsória de usuários de crack

O prefeito do Rio anunciou na segunda-feira (22) a decisão de internação compulsória para adultos dependentes de crack. Mas Paes não apresentou detalhes: quem faria avaliação, a quem caberia a decisão de internar o paciente, para onde ele seria levado ou quando a estratégia seria colocada em prática. Nesta quinta, ele não deixou claro também qual modelo de internação será: ele citou compulsória e involuntária.

As duas estratégias, no entanto, são cercadas de polêmica. Para uma corrente de especialistas, a internação compulsória é ineficaz e contra a lógica dos direitos humanos. Questionado, Paes rebateu: "Ninguém vai se ferir. Vamos salvar o direito da pessoa".

    Leia tudo sobre: crackvíciotratamentorio de janeiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG