Estudante foi morto com quatro facadas em república no Rio de Janeiro

Companheiro de quarto é suspeito de assassinar José Leandro Pinheiro, de 21 anos

O Dia * |

O estudante de mestrado José Leandro Pinheiro, de 21 anos, foi morto com uma pedrada na cabeça e quatro facadas na altura do peito. A Divisão de Homicídios (DH) investiga a morte de José, natural do Ceará, que foi encontrado morto no quarto de uma república na Rua Pacheco Leão, no Jardim Botânico, zona sul do Rio de Janeiro, na madrugada desta quinta-feira (25).

Leia também:  Estudante morre após briga em república no Rio de Janeiro

Luiz Ackermann / Agência O Dia
Fachada da república onde estudante foi morto

Bruno Eusébio dos Santos, de 26 anos, é suspeito de cometer o crime. Os dois são alunos do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), no mesmo bairro.

Segundo o delegado Rivaldo Barbosa, da DH, a vítima era uma pessoa sociável, filha de agricultores no Ceará, e primeiro da família a possuir curso superior. O policial disse ainda que o suspeito morava com José há pouco tempo e era muito introvertido.

No quarto da vítima, a polícia encontrou uma pedra e duas facas com vestígios de pele. Segundo Thiago Augusto Silva Dourado, 26, também estudante do IMPA, José era muito querido. "Todos gostavam dele. Mesmo que fosse ofendido, ele levava na brincadeira", afirmou. Pessoas próximas disseram que José e Bruno dividam um quarto na república e trocavam poucas palavras.

De acordo com PMs, não houve festa na república e nem havia indícios de consumo de bebida alcoólica. Quando policiais chegaram ao local, Bruno estava desacordado na cozinha e havia uma faca sobre um armário. Testemunhas disseram à polícia que José e Bruno conversaram até 1h, quando foram dormir.

Bruno foi encaminhado para o Hospital Municipal Miguel Couto, na Gávea. Após receber atendimento médico, ele seguiu para a sede da DH, na Barra da Tijuca, para prestar depoimento. O local está isolado para os trabalhos técnicos de perícia criminal. O caso foi registrado na 14ª DP (Leblon) e será investigado pela DH.

* reportagem de Felipe Freire

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG