Bombeiros teria levado um celular e um tablet durante o combate a um incêndio na zona sul da cidade no fim de setembro

Agência Estado

Bombeiros teriam furtado objetos durante o incêndio em área nobre do Leblon, em 28/09
Leitor/O Dia
Bombeiros teriam furtado objetos durante o incêndio em área nobre do Leblon, em 28/09

A Polícia Civil do Rio indiciou nesta quarta-feira dois bombeiros acusados de furto de um telefone celular e um computador durante o combate a um incêndio num edifício de 10 andares na Avenida Delfim Moreira, na praia do Leblon , zona sul do Rio de Janeiro, no dia 28 de setembro.

O bombeiro José Carlos Amaral Fernandes, de 48 anos, foi indiciado pelo crime de furto qualificado. Seu colega de corporação Robson do Nascimento, de 36, e um menor vão responder por receptação.

Após o trabalho dos bombeiros, uma moradora do edifício, que fica em um dos endereços mais elegantes da cidade, sentiu falta de um iPhone e um tablet. Ela registrou queixa na Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI), que rastreou o aparelho e o encontrou com um adolescente de 17 anos.

Veja outras notícias do Rio de Janeiro

Em depoimento, o menor contou que havia comprado o aparelho de Robson. O bombeiro, por sua vez, afirmou na delegacia que recebeu o iPhone de José Carlos, como pagamento de uma dívida. Segundo Robson, José Carlos disse que havia comprado o celular na Favela da Rocinha.

Durante as investigações, a polícia descobriu que Robson trabalhou na escada Magirus, e José Carlos combateu o fogo dentro do apartamento de onde sumiram os aparelhos. José Carlos prestou depoimento nesta quarta-feira e negou a versão do colega de farda.

O Corpo de Bombeiros do Rio informou que vai instaurar um procedimento administrativo disciplinar contra os dois militares. Se comprovadas as acusações, eles podem ser expulsos da corporação.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.