Manguinhos e Jacarezinho vão receber investimentos de R$ 100 milhões

Recursos serão investidos em infraestrutura, desapropriação de imóveis e construção de apartamentos

Agência Brasil | - Atualizada às

Agência Brasil

Depois da ocupação ocorrida na madrugada de hoje (14), os complexos de favelas de Manguinhos e Jacarezinho, na zona norte do Rio, vão ser reestruturados pelo estado, informou o governador Sergio Cabral, que conversou com a imprensa no Centro de Comando e Controle da Polícia Militar. De acordo com ele, serão investidos R$ 100 milhões em infraestrutura, para a desapropriação de imóveis e construção de apartamentos.

AP
Veículo da marinha patrulha a comunidade de Manguinhos durante a operação, no Rio de Janeiro

“Nós vamos dar um sentido social, um sentido decente para aquela área e para aquela população. Estou enxergando aquela região, nos próximos seis, oito, dez anos, completamente redefinida do ponto de vista urbanístico, do ponto de vista social, do ponto de vista da ocupação territorial, com as pessoas vivendo dignamente em uma área nobre do Rio, uma área que se perdeu em meio à violência”.

O governador explicou que já foi feito contrato de empréstimo com o Banco do Brasil para a construção de 9 mil apartamentos na região. Cabral também anunciou a desapropriação da Refinaria de Manguinhos que, segundo ele, “há muito tempo não refina nada e serve só para a estocagem de etanol”.

Leia mais:  'Não teremos mais uma Faixa de Gaza', diz Beltrame sobre operação no Rio

Previsão: Cabral confirma que Manguinhos e Jacarezinho terão UPPs

Galeria: Confira as imagens da operação realizada neste domingo pela polícia no Rio

Ele informou que, até o fim do ano, será construído um cineteatro com 250 lugares e cinema 3D na Praça da Cidadania do Jacarezinho, onde já existe uma biblioteca com 27 mil livros e 5.500 sócios. Os dois complexos ocupados hoje abrigam cerca de 70 mil pessoas.

O governador garantiu que a polícia não vai sair do Jacarezinho. A previsão é que, até dezembro, seja instalada a Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) de Manguinhos e, até o fim de janeiro, a do Jacarezinho. Ele lembrou que a política das UPPs vai completar quatro anos. “É incrível o que nós fizemos nesses quatro anos, depois de 40 anos de abandono da segurança pública do Rio de Janeiro”.

Cabral agradeceu o apoio do governo federal e das Forças Armadas na Operação Pacificação Manguinhos e lembrou que o novo paradigma da segurança pública é o trabalho integrado entre as corporações.

    Leia tudo sobre: UPPsManguinhosJacarezinhofavelas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG