Procon fiscaliza comércio do Rio e flagra irregularidades em brinquedos vendidos

Produtos não tinham faixa etária indicativa e selo de qualidade do Inmetro

Agência Brasil |

Agência Brasil

Brinquedos sem o selo de qualidade do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) estão entre as principais irregularidades flagradas pelos fiscais do Procon do Rio de Janeiro no comércio de Niterói e da capital fluminense. Outro problema foi a falta de informação para o consumidor, por exemplo, a ausência da faixa etária indicativa do produto.

"A grande irregularidade que a gente está encontrando, é o princípio básico do consumidor, que é a informação. Ela [a informação] tem que ser dada de forma clara, precisa e ostensiva para os consumidores", disse o coordenador do Departamento de Fiscalização do Procon, Marco Antônio Silva. De acordo com ele, grande parte das irregularidades foram encontradas em lojas de brinquedos.

Para Marco Antônio Silva, além de fiscalizar os estabelecimentos, as ações contribuem para chamar a atenção dos consumidores para comuniquem ao Procon irregularidades encontradas em produtos comercializados."Essas fiscalizações são uma vantagem para o consumidor que passa a tomar um cuidado maior e a analisar se o fornecedor está respeitando os seus direitos”, declarou.

    Leia tudo sobre: procondia das criançasbrinquedos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG