Para relator, exame de DNA feito na Uerj é eficiente e seguro. Comente

O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) negou o recurso apresentado por Rafaela Mendonça Soares Campos, que diz ser filha do cantor Tim Maia. Ela pediu um novo exame de DNA após o laudo do laboratório da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) ter excluído a possibilidade do falecido artista ser seu pai. O recurso foi negado pela 19ª Câmara Cível.

Tim Maia, morto em 1998
Reprodução
Tim Maia, morto em 1998

Para o relator do processo, desembargador Guaraci de Campos Vianna, o laudo da Uerj encerrou a disputa, pois o método científico aplicado ao exame é moderno, eficiente e seguro. “O resultado da prova pericial com a exclusão da paternidade define a questão objeto da lide, possibilitando com segurança a exclusão do vínculo de filiação pleiteado”, destacou.

O laudo da Uerj também foi ratificado por parecer técnico do Laboratório de Biologia Molecular Forense do Instituto de Biologia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O Ministério Público do Rio de Janeiro também deu parecer desfavorável ao pedido.

Relembre o caso:

Justiça do Rio autoriza a exumação do corpo de Tim Maia

Restos mortais de Tim Maia são colhidos para exame de DNA

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.