Disfarçados de vendedores de picolé, policiais prendem suspeitos de ataque a PMs

Agentes capturaram três criminosos que participaram de ataque a PMs de UPP no Complexo da Penha, na zona norte do Rio, na segunda-feira. No episódio, menina de 11 anos foi atingida por bala perdida

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Nove policiais civis se disfarçaram de vendedores de picolés ou de propagandistas políticos para prenderem na úttima quarta-feira (19) três suspeitos de participarem de um ataque a PMs da UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) do Parque Proletário, no Complexo da Penha, na zona norte do Rio de Janeiro, na última segunda-feira (17). Um menor também foi apreendido. Durante o ataque, uma menina de 11 anos foi atingida na perna por uma bala perdida.

Leia tambémMenina de 11 anos é atingida por bala perdida em favela pacificada

A partir de um trabalho de monitoramento, os agentes descobriram que um dos suspeitos, William Assis dos Santos, o Novinho, iria para a praia de Ipanema, na zona sul, de metrô.

Disfarçados, os policiais ficaram em frente à estação General Osório a espera dos suspeitos e os prenderam.

Após isso, os agentes procuraram os PMs que foram atacados na época e eles reconheceram todos os suspeitos. 

De acordo com as investigações, Novinho atacou os PMs porque eles pertenciam a uma patrulha bastante atuante na repressão ao tráfico na localidade. A ação contou com a autorização de um dos gerentes do tráfico da região, conhecido como Siri.

A Justiça expediu mandados de prisão temporária contra os três suspeitos presos. O adolescente foi encaminhado para a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA).

    Leia tudo sobre: ataque às UPPsataque à UPP

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG