Julgamento de Thor Batista por morte de ciclista começou hoje

Filho de Eike Batista é acusado do atropelamento e morte do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, de 30 anos. Fato ocorreu em março em rodovia na Baixada Fluminense

Agência Estado |

Agência Estado

Foi iniciada na tarde desta quarta-feira (12), a primeira audiência do processo que acusa o filho do empresário Eike Batista, Thor Batista, pelo atropelamento e morte do ciclista Wanderson Pereira dos Santos, de 30 anos, caso ocorrido em março deste ano.

Leia tambémThor Batista é denunciado por atropelamento que causou morte

Durante a sessão, testemunhas de acusação e defesa serão ouvidas na 2ª Vara Criminal de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A audiência é conduzida pela juíza Daniela Barbosa Assumpção de Souza.

De acordo com o Fórum de Duque de Caxias, Thor chegou ao local por volta das 12h para responder à acusação de praticar homicídio culposo na direção de veículo automotor. A previsão, na pauta da audiência, é de que oito testemunhas de acusação prestem depoimentos nesta quarta-feira, mas a secretaria do fórum informou que uma delas não apareceu até às 15h.

Leia tambémThor Batista é indiciado por homicídio culposo por atropelamento no Rio

Para que a sessão continue, o Ministério Público deverá julgar a relevância do testemunho da pessoa ausente, uma vez que por lei todas as acusações devem ser ouvidas antes da defesa. A juíza pretende ouvir ainda nesta quarta-feira outras seis testemunhas de defesa, sendo que duas delas prestarão depoimentos em São Paulo por residirem na capital paulista. A sessão tem término previsto para as 18h desta quarta.

Carteira suspensa

Thor Batista ficou dois meses sem o direito de dirigir por determinação da 2ª Vara de Duque de Caxias, medida concluída 60 dias depois do acidente.

Leia tambémThor acumulou 51 pontos na carteira nos últimos 18 meses

A Carteira Nacional de Habilitação (CNH) voltou às mãos do acusado em 20 de julho, quando a Justiça acolheu mandado de segurança impetrado pelos criminalistas Celso Villardi e Márcio Thomaz Bastos.

O acidente ocorreu em 17 de março na Rodovia Washington Luís. O filho de Eike dirigia a Mercedes-Benz SLR McLaren a 135 km/h, segundo a perícia da Polícia Civil. A velocidade máxima permitida na via é de 110 km/h.

Leia tambémFilho de Eike Batista se envolve em acidente com morte em rodovia no Rio

Os advogados de Thor contestam a perícia e alegam que, segundo laudo particular, o carro estava trafegando com velocidade entre 87,1 km/h e 104,4 km/h.

Em 16 de maio, o Ministério Público do Rio de Janeiro denunciou Thor à Justiça por homicídio culposo (sem intenção de matar). Na data, a Promotoria também pediu a suspensão imediata do direito de dirigir do acusado.

De acordo com informações da denúncia, momentos antes do atropelamento, o filho do empresário chegou a ultrapassar um ônibus pela faixa da direita e repetiu a manobra ao ultrapassar um carro.

Para pedir a suspensão da carteira de motorista de Thor, o MP levou em consideração as 11 infrações de trânsito registradas em sua carteira de habilitação, nove delas por excesso de velocidade. Caso condenado, Thor Batista poderá cumprir de 2 a 4 anos de prisão.

    Leia tudo sobre: NACIONALGERAL

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG