PM acha acampamentos do tráfico em operação na favela da Chatuba

Comunidade da Baixada Fluminense foi ocupada por PMs, que tentam prender responsáveis pela chacina que deixou seis jovens mortos no final de semana. Dez suspeitos foram presos

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Divulgação
Um dos acampamentos do tráfico achado pela PM na Chatuba


A Polícia Militar do Rio de Janeiro achou cinco acampamentos montados por traficantes durante operação realizada na manhã desta terça-feira (11) na favela da Chatuba, em Mesquita, na Baixada Fluminense. 

Leia tambémFavela onde jovens foram assassinados registrou 12 mortes em três dias, diz PM

A comunidade será ocupada permanentemente pela PM após ter registrado, segundo a corporação, 12 mortes nos últimos três dias, entre elas a de seis rapazes, entre 16 e 19 anos, que desapareceram no úlitmo sábado (9) após irem a uma cachoeira no Parque de Gericinó.

Os corpos dos jovens foram encontrados ontem, com marcas de tiros, tortura, amarrados e sem roupa, nas margens da rodovia Presidente Dutra, no bairro de Jacutinga, em Mesquita. As mortes de um cadete da PM e um pastor evangélico são investigadas.

Leia tambémJovens foram mortos porque moravam em bairro dominado por facção rival

Segundo a PM, os acampamentos dos traficantes foram encontrados em uma mata. No local, havia um gerador de alta capacidade, um fuzil de fabricação alemã equipado com luneta, lareiras e bebidas.

Agência O Dia
PMs durante operação na favela da Chatuba



Na operação de hoje, dez suspeitos já foram presos, entre eles uma mulher. Foram recolhidos 933 papelotes, 320 cápsulas e 20 gramas de cocaína, 41 pedras de crack, 30 sacolés de maconha, uma faca, uma granada, um carregador de pistola calibre .380, três coldres, um par de coturno, um cinto, duas mochilas, sete telefones celulares, uma máquina fotográfica, cinco baterias de telefone celular, um cordão, um lampião, uma rede de campanha e R$ 15.084, 50 em espécie. Um carro também foi recuperado.

Escolas afetadas

Por conta das operações na Chatuba, seis unidades escolares estaduais (sendo quatro de Nilópolis e duas de Mesquita) tiveram seu funcionamento alterado. Algumas delas precisaram interromper as aulas e outras estão com baixa frequência. Ao todo, esses colégios atendem a cerca de 5 mil alunos.

Os diretores têm autonomia para tomar as providências necessárias para garantir a integridade física e moral de seus alunos, professores e funcionários, Em situações como essa, os conteúdos perdidos das aulas são repostos, para que não haja prejuízo aos estudantes.

O plano da PM é instalar na Chatuba uma Companhia Destacada, com 112 PMs. A operação na comunidade conta hoje com cerca de 250 PMs, que estão a procura dos traficantes que mataram os jovens, entre eles Remílton Moura da Silva Júnior, o Juninho Cagão, chefe do tráfico na localidade e apontado como mandante da chacina.

Os corpos dos jovens estão sendo velados em escolas municipais da região. Os sepultamentos vão ocorrer à tarde, em Nilópolis, cidade onde os rapazes moravam.

Divulgação
Fuzil alemão achado pela PM na favela da Chatuba


    Leia tudo sobre: chacinabaixada fluminense

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG