Suspeitos arremessavam drogas e celulares para detentos em presídio do Rio

Presos recebiam o material no pátio do presídio Edgard Costa, em Niterói. Em uma das ações, policiais apreenderam maconha, cocaína, telefones celulares e chips

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Reprodução
Entrada do presídio Edgard Costa, em Niterói

A Polícia Civil do Rio de Janeiro descobriu um esquema dentro do presídio Edgard Costa, em Niterói, na região metropolitana, em que os detentos recebiam drogas, telefones celulares e chips  que eram arremessados no pátio da unidade prisional.

Leia tambémPolícia prende PM que distribuía drogas e celular em prisão de Mato Grosso

Segundo o titular da Delegacia de Homicídios de Niterói/São Gonçalo, delegado Wellington Vieira, nesta semana, três suspeitos de realizar o serviço foram presos em flagrante em plena luz do dia ao arremessar o material.

Eles contaram que receberiam pelo serviço R$ 350. Foram apreendidos na ocasião 66 embalagens de cocaína, 56 de maconha, oito telefones celulares e sete chips. O material estava escondido em duas bolsas.

Leia tambémHomem tenta entrar com drogas em presídio e acaba preso

De acordo com Vieira, um dos suspeitos presos confessou que era a terceira vez que ele arremessava o material para dentro da cadeia.

"Eles faziam isso entre 8h e 17h quando os presos estavam no pátio. Lá de dentro, um detento ficava monitorando os guardas e falava no celular com quem estava de fora. O material era atirado por um muro de dez metros. As drogas eram vendidas na cadeia", explicou o delegado ao iG. 

Segundo o delegado, os suspeitos são do Rio de Janeiro. Dois outros integrantes do bando estão sendo procurados.

Em nota, a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informou que por muitas vezes esta ação (de arremessar drogas no presídio) é impedida por inspetores Penitenciários do GSSE (Grupamento de Serviço de Segurança Externa).


    Leia tudo sobre: drogaspresídios

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG