Mesmo com UPP, controle de favela muda de facção no Rio

Segundo a policia, morro do Adeus, vizinho ao Complexo do Alemão, passou ao domínio da Amigos dos Amigos (ADA) há duas semanas

Mario Hugo Monken iG Rio de Janeiro |

Raphael Gomide
Rua do morro do Adeus, que está ocupado por uma UPP desde maio

Apesar de estar ocupado desde maio por uma UPP (Unidade de Polícia Pacificadora), o morro do Adeus, em Bonsucesso, na zona norte do Rio de Janeiro, vizinho ao Complexo do Alemão, teve mudada a facção criminosa que controlava a venda de drogas.

Leia também: PM reforça policiamento após tentativa de invasão ao morro do Adeus

Segundo informações que chegaram até o setor de investigações da 21ª DP (Bonsucesso), há pelo menos duas semanas, os traficantes do Adeus, que eram ligados ao Terceiro Comando Puro (TCP), decidiram mudar para o grupo rival Amigos dos Amigos (ADA), o mesmo que controla a favela da Rocinha, na zona sul.

Os agentes não sabem se a mudança no comando resultou em mortes ou expulsões na favela. No início do mês, um homem que teria envolvimento com o tráfico de drogas foi achado morto com o corpo enterrado em um campo de futebol no Adeus mas não há informações se o fato teria ligação com as facções.

Leia também : Inaugurada UPP do morro do Adeus

A UPP do morro do Adeus, que também atua na comunidade da Baiana, foi implantada no dia 11 de maio. Ela possui 250 PMs. Nos meses que antecederam a instalação do posto houve registros de vários tiroteios entre traficantes. Antes de ser TCP, o Adeus era dominado pelo Comando Vermelho (CV), que controla o tráfico nos complexos do Alemão e da Penha.

Questionada pelo iG sobre o fato, a assessoria de imprensa do Comando de Polícia Pacificadora (CPP) alegou que as informações são objetos de estudo da inteligência e não podem ser divulgadas.

Não é a primeira vez que há troca do comando de uma facção em uma favela pacificada. No final de 2010, o morro do Chapéu Mangueira, no Leme, na zona sul, foi ocupado por traficantes do CV. Quando a UPP se instalou no local, a comunidade tinha o domínio do TCP.

Divulgação/Bope
Campo de paintball achado no morro do Adeus pelo Bope no início do ano e que seria usado por traficantes


Planos de ataque

O novo chefe do tráfico no Adeus, segundo fontes da polícia, seria um criminoso conhecido como Chatinho, que é ligado a Edmílson Ferreira dos Santos, o Sassá, principal líder da ADA, que está preso.

Leia também : Guerra do tráfico no Complexo da Maré deixa 4 mil sem aulas

De acordo com informações que chegaram à Dcod (Delegacia de Combate às Drogas), de dentro da penitenciária federal de Mossoró (RN), há alguns meses, Sassá teria transmitido ordens a seus subordinados para que retomem as favelas que eram de seu domínio e foram perdidas.

Leia também : Conheça os grupos criminosos que controlam favelas no Rio

Os princiapis alvos de Sassá são as favelas Vila do João e Vila dos Pinheiros, no Complexo da Maré, na zona norte. Para tentar retomá-las, o grupo de Sassá mantém uma base no Complexo do Caju, na zona portuária, de onde tem saído bondes que dão ataques esporádicos. Policiais ouvidos pelo iG disseram, no entanto, que não acreditam que a ADA consiga retomar as duas favelas em razão do forte armamento existente nelas.

Leia tambémDisputa pelo controle do tráfico pode ter causado 12 mortes em favela do Rio

Outros alvos de Sassá são as comunidades do Jorge Turco, em Rocha Miranda, Muquiço, em Guadalupe, Para-Pedro, em Colégio, e Juramento, em Vicente de Carvalho, todas na zona norte.

Para atacar essas comunidades, a facção montou base no morro da Pedreira, em Costa Barros, na mesma região. Os traficantes conhecidos como Bebezão, Playboy e Marquinhos do Muquiço ficaram encarregados de planejar as invasões.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG