Dossiê Mulher: 70,9% dos estupros no Rio em 2011 ocorreram em ambiente familiar

Mais da metade das vítimas de estupro do sexo feminino é de meninas de até 14 anos, segundo levantamento do Instituto de Segurança Pública

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Um dossiê divulgado na última terça-feira (14) pelo Instituto de Segurança Pública do Rio de Janeiro com dados sobre a violência contra a mulher no Estado em 2011 revela que 70,9% dos casos de estupro contra vítimas do sexo feminino são praticados em ambiente familiar.

De acordo com o estudo, foram 4.871 vítimas de estupro em 2011, sendo 82,6% em mulheres. O período também registrou um aumento de 7,2% no total de vítimas do sexo feminino em relação ao ano anterior. O levantamento do ISP indica uma média 335 mulheres vítimas por mês.

Do total de estupros praticados contra vítimas do sexo feminino, 53,6% referiam-se a “estupro de vulnerável”, ou seja, 2.156 vítimas eram meninas de até 14 anos de idade.

Segundo a pesquisa, 11,6% dos estupros contra mulheres acontecem em vias públicas e 17,5% em outros locais.

Em 50,2% dos casos, as vítimas de estupro conheciam os acusados (companheiros, ex-companheiros, pais, padrastos, parentes e conhecidos), 30,5% tinham relação de parentesco com a vítima (pais, padrastos, parentes) e 10,1% eram companheiros ou ex-companheiros. Os registros de estupro ocorridos no Estado do Rio de Janeiro em 2011 apresentaram uma média 335 mulheres vítimas por mês.

Sobre o perfil das vítimas de estupro do sexo feminino foi observado que 37,3% eram brancas, 54,4% eram pardas ou pretas; 76,0% eram solteiras; 24,1% tinham entre zero e 9 anos, e 29,5% tinham entre 10 e 14 anos de idade.

Ameaças

Só no ano passado, o número de ameaças contra mulheres foi de 54.253, uma média de147 por dia. Nesse sentido, verificou-se um aumento de 8,6% nas ameaças contra mulheres de 2010 para 2011.

Quase metade das mulheres vítimas de ameaça (49,4%) tinha o companheiro ou ex-companheiro como o provável autor desse delito. Sofreram ameaças por parte de pais ou parentes 10,7% das mulheres, e 12,5% delas foram vítimas de pessoa conhecida ou próxima.

Quanto ao perfil da mulher vítima, observou-se que 56,4% das mulheres que sofreram ameaça tinham entre 25 e 44 anos; 48% eram brancas, e 50,6%, se declararam solteiras.

Homicídios

Quanto ao homicídio doloso, 7,1% eram mulheres, totalizando 303 vítimas. Esse delito apresentou um aumento de 1,3% no total de mulheres vítimas em relação a 2010. Nesse sentido, a média mensal foi de 25 mulheres vítimas.

Das 303 mulheres assassinadas, 34,3% tinham entre 18 e 34 anos; 47,5% eram pardas, 27,1%, brancas e 18,5%, pretas; 32,7% eram solteiras e 19,1% conheciam os acusados, sendo que 14,2% das vítimas eram ex-companheiras ou companheiras do provável autor do homicídio.

Tentativa de Homicídio

Em relação à tentativa de homicídio, foi constatado que 16,0% das vítimas eram mulheres. O ano de 2011 registrou a média mensal de 56 mulheres vítimas de tentativa de homicídio. Das 680 mulheres vítimas, 46,9% tinham entre 18 e 34 anos; 37,8% eram pardas, 39,3%, brancas e 16,5%, pretas; e 48,1% eram solteiras.

Constatou-se que 51,6% das mulheres vítimas conheciam os acusados, sendo que 37,8% das vítimas eram os ex-companheiros ou companheiros. 

Lesão corporal dolosa

O delito lesão corporal dolosa apresentou um aumento de 7,2% no total de mulheres vítimas em comparação com 2010. No ano de 2011, mais 3.644 mulheres sofreram lesão corporal.

Do total de vítimas do sexo feminino, 44,6% eram brancas, 40,2%, pardas e 13,6%, pretas; mais da metade (54,9%) tinha entre 18 e 34 anos; 56% eram solteiras e 32,4%, casadas ou “viviam junto”. Das vítimas, 51,8% eram companheiras ou ex-companheiras dos acusados.


    Leia tudo sobre: violência contra a mulher

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG