Culto dos virgens: “Se uma mulher bonita vier na sua direção atravesse a rua”

Missionário evangélico carioca, genro de Baby Consuelo, prega castidade até o casamento e dá conselhos aos fieis. iG selecionou os dez mais curiosos

Valmir Moratelli iG Rio de Janeiro | - Atualizada às


Príncipe não namora cachorra, namora princesa. Este é apenas um dos ensinamentos que o missionário Claudio Brinco repassa a seus seguidores no que chama de “culto dos príncipes”. O encontro aconteceu pela segunda vez, na noite de terça-feira (31), no clube Olympico, em Copacabana, zona sul do Rio. É uma versão masculina do “culto das princesas”, que já acontece há alguns meses e é liderado por Sarah Sheeva, cunhada de Brinco e filha da cantora Baby Consuelo. “A ideia é estimular uma nova cultura comportamental entre os seguidores da Igreja Celular Internacional (ICI), no que se refere a namoro e, claro, sexo”, explica Brinco. A adesão surpreende. Mais de duzentos homens lotam o salão.

Há algumas regras estipuladas por quem quer ser príncipe. A começar pelo próprio culto: mulher não entra ( foi pedido ao iG para que a equipe de reportagem fosse composta apenas por homens ). Para o príncipe solteiro, sexo é proibido. Qualquer tipo de sexo. Masturbação, nem pensar. O missionário diz que beijo na boca não está proibido na bíblia, mas traz problemas aos fieis. “Beijo de língua não é pecado. Mas comida também não é e te leva à gula. Beijo é igual a forno elétrico. Liga em cima e esquenta embaixo”, afirma, cheio de gestos.

Paulo Marcos
Missionário Brinco e seu iPad rosa. "Deveria ser uma capa azul, né? Eu sei", diverte-se ele.

O começo do culto é catártico, com três hinos de louvores nos mais altos decibéis. Em seguida, obreiros passam a sacolinha para arrecadar doações espontâneas dos fieis. “Se você semeia morango, vai colher morango. Se você semeia dinheiro, vai colher dinheiro”, diz o missionário, distribuindo envelopes. E começa o culto para valer. “Aleluia, amém”, grita Brinco, pedindo que todos repitam com ele. “Que alegria, Senhor! Só ouço voz de macho, voz de varão”. Quase todos seguram a bíblia, mas em nenhum momento da noite ela seria aberta para a leitura de algum trecho. Nem pelo condutor do culto. O discurso do missionário está todo em seu iPad , de capa rosa-chiclete.

É dali que ele retira frases como “A merenda é só depois do recreio. Príncipe aguarda as ordens do Rei”, para pregar a castidade até o casamento. Todos dizem amém repetidas vezes. O culto é animado, mas é quando vai para o improviso que Brinco realmente diverte a plateia. Parece um showman. Anda e gesticula o tempo todo pelo púlpito, coberto por um carpete vermelho e tendo três telões de 50 polegadas nas laterais.

Bruno Luiz Alves, auxiliar de farmácia, 22 anos, diz que segue à risca todos os mandamentos. “Aqui tenho tudo explicado de forma clara”. Bruno é solteiro. Nunca namorou. O coordenador financeiro Thiago Kuster, 27, diz que pretende encontrar sua princesa na igreja. “É a necessidade de todo cristão. Vou aguardar o tempo que for”. Mais sorte teve Micael Brito, analista de TI. Ele namora há dois meses. “Estudo a bíblia junto com ela. É uma princesa de Deus”, diz, sorridente.

Paulo Marcos
É a segunda vez que o culto dos príncipes é realizado no Rio


Testosterona na veia

A maioria dos presentes tem entre 18 e 30 anos. São jovens empregados, vindos de diferentes bairros da cidade. Poucos namoram. E quando namoram, é com meninas também evangélicas. “Você nasceu para ser o cabeça, o provedor, o varão da sua casa. Diga ao príncipe ao seu lado: ‘você é o varão da sua casa, irmão’. Queremos uma nação de homens livres da cultura machista, egoísta e demoníaca. Não ao sexo antes do casamento”, diz no palco o missionário. O vendedor Maicon Charles, de 29 anos, cruzou a cidade para acompanhar o culto. Morador de Santa Cruz, ele e os amigos se orgulham de se declararem longe dos pecados. “O que interessa para a minha vida é o que Deus reserva para mim. Nem masturbação me interessa”, diz.

Brinco ensina que as tentações são diárias e é preciso ser forte, é preciso ter força para suportá-las. “Dia desses andava na calçada quando vi uma morena fenomenal vindo na minha direção. Eu sou homem, pô! Aqui tem testosterona ( diz batendo no braço ). Enquanto todos os caras viraram o pescoço para vê-la melhor, encostei na parede e comecei a orar ao Senhor. Uma irmã aqui da igreja passou na hora e perguntou se estava passando mal. Disse para ela que não, só estava afugentando o demônio”, conta.

Ele convida o pastor Nelson Júnior, de Vitória, para subir ao altar. Nelson está vestido com a camisa da campanha “Eu escolhi esperar”, também voltado à castidade. “Não é fácil ser cristão nos nossos dias. Não é fácil ser homem. Mais difícil ainda é ser homem e cristão”, diz, recebendo gritos de “aleluia” como resposta.

Paulo Marcos
Moradores de Santa Cruz aderem à campanha do pastor Nelson: "Eu escolhi esperar"


“E aí, comeu?”

Brinco critica o filme “E aí, comeu?”, sucesso que já levou mais de dois milhões de espectadores aos cinemas nas últimas semanas. Pede para que os príncipes perguntem a quem estiver ao seu lado “e aí, comeu?”. Ninguém responde que sim. “Quando eu servia ao império das selvas, é o que mais se perguntava entre os homens. É uma cultura mundana que, hoje, até as mulheres aderiram. Não se pergunta isso, em nome de Jesus!”

Todos ouvem atentos como diferenciar uma princesa de uma cachorra. Há até explicações para fugir das cachorras mais perigosas, as “com cara de anjo”. “Não diga nada, não ofereça ajuda, porque você não vai resistir. Seu cérebro vai emitir sinais para a cabeça de baixo e aí já era. Recorra a uma pastora. Só uma pastora pode salvar a cachorra”, diz Brinco, em tom aflito. Muitos anotam as recomendações, como se estivessem em uma aula.

O missionário resolve então abrir um pouco de sua intimidade. Ele é casado com a cantora Nãna Shara. Diz que ficou um ano e oito meses, durante todo o namoro, sem sexo ou mesmo beijo na boca. Depois que se casou, e lá se vão sete anos, é tudo “uma maravilha abençoada”. “Por falta de dinheiro, a Light cortou a luz da minha casa. Quando cheguei, encontrei minha esposa me esperando com um jantar à luz de velas. Aquela noite foi tremenda! Quase mandei uma carta agradecendo à Light por ter cortado a luz”, relata ele, povoando a imaginação dos castos que o ouvem atentamente.

Paulo Marcos
Brinco e sua mulher, a cantora Nãna Shara. Ela só entra no local após o fim do culto


Varão no Facebook

Nem nas redes sociais os pobres de sexo e ricos de espírito têm sossego. Para a igreja, não há distinção entre mundo real e virtual. “Padronize o Facebook de acordo com o reino de Deus. Não adianta ter uma vida regrada na realidade e ser libertino na vida virtual. Se você é príncipe, não procure mulher no Facebook. Príncipe não tem álbum no Facebook. Não idolatra a própria imagem”, ensina ele.

Sobra discurso até para os que se “desviam” da sexualidade de varão. “Antigamente criticavam a homossexualidade. Hoje toleram. Amanhã vai ser obrigatório. Temos que ir na contramão da cultura mundana, irmãos”. Brinco abre seu iPad e recorre a mais uma de suas pérolas. “A sociedade pode até te chamar de gay, mas Deus vai te chamar de Príncipe homem”. Abre-se então espaço para perguntas dos jovens ( veja abaixo algumas das dúvidas levantadas ). Todas são voltadas para relacionamentos. As respostas caminham para a missão de se manterem puros. Custe o que custar.

Ao término do culto, já por volta das 22 horas, Nãna Shara aguarda os príncipes do lado de fora, oferecendo seus DVDs de pregação a módicos R$ 20. Alguns vencem a timidez e pedem para tirar uma foto com a mulher do missionário Brinco. Mas nada de se aproximarem demais. Príncipe não cobiça mulher do próximo.

Paulo Marcos
O culto tem um pouco mais de duas horas de duração e termina com curiosas perguntas dos fieis


Perguntas dos príncipes presenciadas pela reportagem do iG

Por que se masturbar é pecado se Deus nos fez de braços longos?

“Porque Ele te deu o direito de decidir. Porque Ele te deu o direito de escolha, para Ele saber quem é Príncipe de verdade. Príncipe não se masturba. Masturbação é como se você pegasse geral. Ontem peguei a Vera Fischer, hoje a Malu Mader e quando chegar em casa vou pegar a Madonna.”

Ficar sem se masturbar dói. O que fazer?

“Eu sei que dói. Mas pense na dor maior de Jesus. Tem dor maior do que a da cruz? Tem? Tem dor maior do que aquela frase dita por Ele antes da crucificação: ‘Pai, tire de mim este cálice’. Não é fácil, eu sei que não é. Mas é preciso ser forte.”

O que fazer quando encontro a metade da minha laranja e ela está sendo chupada por outro?

“Caia fora, irmão. Ela não é a princesa que Deus quer te dar. Você vai querer chupar uma laranja que já foi chupada por outro? Vai meter a boca ali? Essa laranja não é do Jardim do Éden.”

Com quantos anos posso namorar?

“Namoro no latim é fazer sexo. Não acho este verbo apropriado. Relacionamento entre príncipes e princesas deve ser de dois anos, depois casa. Porque ninguém aguenta tanto tempo sem avançar o sinal. Acho que aos 21 anos, tendo um ano de crente e já sendo batizado, você pode começar a pensar nisso.”

Onde posso encontrar a princesa da minha vida?

“Você não vai encontrar princesa no baile funk do morro do Borel, meu filho. Vá procurar na sua igreja, que é onde Deus fez o seu chamado.”

Por que no culto dos príncipes não entram princesas?

“Mulher não entra nos cultos porque, se tiver uma mulherzinha aqui, homem não ora, fica disperso. É bom que vocês só vejam outros homens aqui, tenham liberdade de falar abertamente sobre qualquer assunto.”

O que faço para conquistar uma princesa de verdade?

“Príncipe escolhe a mulher sem fazer xaveco, charme ou lábia. Príncipe escolhe sua princesa pelo que ela é. Quem planta morango colhe morango.”

Como posso conquistar a confiança da família de uma princesa?

“Não comendo a princesa, irmão!”



    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG