Acusado de matar idosa em São Conrado é preso em quiosque no Rio de Janeiro

Caseiro é acusado de envolvimento na morte de Alpha Dias Kieling, cujo corpo foi achado enterrado no último domingo

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Agência O Globo
Ênio Tomaz da Rocha trabalhava como caseiro de Alpha Dias Kieling

Foi preso na manhã desta quinta-feira (2) o acusado de matar a idosa Alpha Dias Kieling, de 76 anos, encontrada enterrada, no último domingo, nos fundos da casa onde morava, em São Conrado, na Zona Sul do Rio. 

Segundo policiais militares do Leblon (23°BPM), Ênio Tomaz da Rocha, de 47 anos, foi capturado enquanto estava em um quiosque na Lagoa, após denúncia anônima. Rocha ainda correu para tentar fugir, mas foi capturado e encaminhado para a Divisão de Homicídios (DH).

O acusado já tinha mandado de prisão pedido pela Divisão de Homicídios (DH) por outra morte, ocorrida em maio deste ano, em Botafogo, também na zona sul da cidade. 

Segundo a Divisão de Homicídios, ele seria o responsável pela morte da jovem Cleiane Oliveira Costa. Após violentar e matar por a vítima por asfixia, ele teria jogado o corpo na Praia de Botafogo.

Leia também : Mãe de empresário é achada morta e enterrada

Rocha trabalhava como caseiro de Alpha há cerca de cinco meses. Ele tinha a chave da residência de Alpha e era responsável por cuidar do jardim, dos gatos e do cachorro da idosa.

Na última segunda-feira (30), a polícia fez buscas na favela da Rocinha, na zona sul, atrás do suspeito mas ele não foi encontrado.

Entenda o caso

Filho de Alpha, o vice-presidente da empresa Geo Eventos, Robert Dannenberg registrou o desaparecimento da mãe no último dia 20, na 15ª DP (Gávea). A mulher teria dito a ele no dia 18 que iria viajar para Teresópolis, na Região Serrana do Rio, e desapareceu.

Em depoimento à polícia, Dannenberg disse que ao ir à casa da mãe no último domingo sentiu um forte cheiro no quintal e acionou policiais 15ª DP. 

Através do Facebook, Dannenberg avisou o falecimento da mãe:

"Amigos infelizmente encontramos a minha mãe, vitima da violência que assola e banaliza a todos. Uma grande barbárie que esta cada vez mais perto de todos nós. Não tenho como agradecer ao apoio de todos na busca por ela. Estou sem palavras para expressar a minha gratidão por todos aqueles que fizeram suas orações e me ajudaram nesta dura missão".

    Leia tudo sobre: violênciaidosacaseiro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG