Por causa da manifestação dos caminhoneiros, trânsito nos trechos engarrafados flui por uma faixa da esquerda. No sentido Rio, há 20 km de retenção. Em direção a São Paulo, mais 16 km de retenções

Protesto de caminhoneiros causa transtornos na via Dutra
Fábio Mota/Agência Estado
Protesto de caminhoneiros causa transtornos na via Dutra


A manifestação dos caminhoneiros na rodovia Presidente Dutra, iniciada na manhã desta segunda-feira (30), provoca um engarrafamento de ao menos 36 quilômetros em quatro trechos da estrada no Estado do Rio de Janeiro esta tarde.

De acordo com o site da CCR Dutra, concessionária que administra a estrada, há três quilômetros de lentidão (entre os quilômetros 305 e 302) na pista sentido Rio de Janeiro na cidade de Resende, no Sul Fluminense.

Ainda na pista sentido Rio, há 18 quilômetros de retenção (entre os kms 291 e 273) na altura de Porto Real. 

Na pista em direção à capital paulista, são 12 quilômetros de engarrafamento (entre os kms 264 e 276) em Barra Mansa. E outros três quilômetros de lentidão (entre os kms 225 e 228) na Serra das Araras (Região Serrana).

Em todos os trechos onde há engarrafamento, o trânsito está fluindo por uma faixa da esquerda.

Desde a semana passada, caminhoneiros realizam manifestações e fecham estradas em vários estados do país em protesto contra a lei que regulamenta a jornada de trabalho da categoria.

A categoria protesta contra os baixos valores dos fretes, a falta de segurança nas estradas, o preço do combustível e dos pedágios, a falta de regulamentação da profissão e de uma série de medidas adotadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) que, conforme o presidente do MUBC em Minas, José Acácio Carneiro, "acabaram de vez com a categoria". "O trabalhador paga para rodar. É obrigado a aceitar os fretes baixos, senão não tem dinheiro nem para o diesel", afirmou.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.