Policial civil é preso no Rio suspeito de sequestro e roubo

Agente é acusado junto com outro policial foragido de ter sequestrado um homem e exigido R$ 10 mil pela liberdade dele. Caso ocorreu em 2008 na cidade de Cabo Frio

iG Rio de Janeiro |

O policial civil Pedro Hyppolito da Fonseca foi preso nesta terça-feira (17) dentro da delegacia de Cabo Frio (126ª DP), na Região dos Lagos, no litoral fluminense, suspeito de praticar os crimes de extorsão mediante sequestro e roubo. Um outro policial, acusado dos mesmos delitos, e identificado como André Rodrigo Saldanha Gomes, está foragido.

Segundo consta a denúncia, em junho de 2008, André Rodrigo manteve um homem sequestrado dentro da 126ª DP (Cabo Frio), depois que a vítima foi à delegacia acompanhar um parente que recebera em casa notificação para comparecer à unidade.

De acordo com a Promotoria, o policial ameaçou matá-lo ou prendê-lo caso não fosse feito o pagamento imediato de R$ 10 mil. O familiar do sequestrado, relata ainda a denúncia, negociou com o agente o valor do resgate, acertando em R$ 5 mil, pagos no mesmo dia.

Ainda segundo o Ministério Público, cerca de três dias após a primeira extorsão, André Rodrigo telefonou para a vítima pedindo que seu parente fosse novamente à delegacia para pegar uma certidão negativa.

Porém, depois que os dois chegaram à unidade, consta na denúncia, André Rodrigo e Pedro Hypollito sequestraram o parente da primeira vítima, exigindo R$ 10 mil para que não o levassem preso, já que tinham um mandado de prisão contra ele, e ainda roubaram relógio, joias e celulares.

“A vítima permaneceu toda a noite custodiada no interior da delegacia e, durante esse período, André e Pedro a submeteram a intenso sofrimento físico e mental, agredindo-a com socos e pontapés, em represália à negativa de pagamento do valor exigido (...) Por fim, o primeiro denunciado sempre demonstrava conhecer muito bem a rotina de vida, o que levou a vítima, inclusive, a efetuar o primeiro pagamento exigido”, relata trecho da denúncia, oferecida em 9 de julho.

“São fortes os indícios de autoria contra os denunciados, que transformaram a delegacia de polícia de Cabo Frio num verdadeiro balcão de negócios (...) Aqueles que deveriam estar em seus postos de trabalho para garantir a segurança da população, se utilizam dos cargos que ocupam para auferir vantagens indevidas ”, narra a denúncia.

De acordo com a denúncia, posteriormente, a vítima foi transferida para a carceragem de Araruama, de onde foi liberada por alvará de soltura expedido pelo Plantão Judiciário. No mesmo dia, acabou sendo perseguida pelos policiais civis e buscou refúgio no prédio do Ministério Público local.

    Leia tudo sobre: policial presosequestro

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG