Cardeal Dom Eugenio Sales morre aos 91 anos no Rio

Mais antigo cardeal da Igreja Católica morreu por causas naturais. Em nota, governador Sérgio Cabral decretou três dias de luto

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

AE
Uma pomba pousou sobre o caixão de Dom Eugenio Sales durante o velório

Morreu, na noite de segunda-feira, aos 91 anos, na capital fluminense, o cardeal Dom Eugenio de Araujo Sales, arcebispo emérito da Arquidiocese do Rio de Janeiro.

Dom Eugenio morreu na Residência Assunção, onde morava, na Estrada do Sumaré, na zona norte do Rio.

Segundo a Arquidiocese, o mais antigo cardeal da Igreja Católica morreu por volta das 23 horas por causas naturais. O corpo do religioso está sendo velado na Catedral São Sebastião, no centro do Rio e o enterro será na quarta-feira (11), na própria catedral. 

Um clima de serenidade marcou a chegada do corpo do cardeal dom Eugenio à catedral onde foi recebido com uma salva de palmas pelos fiéis. Muitos chegaram em caravanas do interior e de outros Estados.

Na entrada da catedral, o caixão foi abençoado pelo arcebispo da arquidiocese do Rio, dom Orani Tempesta. "Ele partiu serenamente para a casa do Pai", disse o arcebispo. A Companhia de Músicos da Polícia Militar tocou o Hino Nacional e a Marcha Pontifícia, o Hino do Vaticano. Além de autoridades religiosas, estiveram presentes no velório o prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB), e o governador do Estado, Sérgio Cabral Filho (PMDB).

Uma pomba esteve ao lado do corpo durante algum tempo na catedral, onde estão sendo celebradas missas a cada duas horas.

Leia também:  Papa lamenta em telegrama morte de dom Eugenio Sales

Em nota divulgada na madrugada desta terça-feira, o governador do Rio, Sérgio Cabral, lamentou a morte de Dom Eugenio Sales e decretou luto oficial de três dias no Estado. "Dom Eugenio Sales era amado pelo povo do Rio de Janeiro. Nas últimas décadas, a sua liderança religiosa foi a mais importante do nosso Estado. Vamos decretar três dias de luto", afirma Cabral.

Cardeal teve seu nome cogitado para ser papa

Nascido em Acari (RN) no dia 8 de novembro de 1920, fez seus primeiros estudos em Natal onde ingressou, em 1931, no Seminário Menor. Os cursos de Filosofia e Teologia foram realizados Seminário da Prainha, em Fortaleza. A ordenação presbiteral ocorreu em dia 21 de novembro de 1943.

Reprodução
Dom Eugenio Sales morreu por volta das 23 horas desta segunda-feira (09)

Com 33 anos, em 1954, foi nomeado bispo auxiliar de Natal pelo papa Pio XII. Em 1962 foi designado administrador apostólico da Arquidiocese de Natal, função que exerceu até a chegada de Dom Nivaldo Monte, em 1965. Em seguida, tornou-se administrador apostólico da Arquidiocese de Salvador e, quatro anos depois, arcebispo de Salvador e primaz do Brasil, pelo papa Paulo VI.

No período em que esteve em Salvador, Dom Eugenio foi o criador das Comunidades Eclesiais de Base, da Campanha da Fraternidade e do Movimento de Educação de Base. Foi também um dos primeiros a implantar o Diaconato Permanente na Igreja no Brasil. No tempo da Ditadura Militar, realizou, em segredo, diversas ações para ajudar e abrigar perseguidos políticos.

Em 1969, Dom Eugenio foi nomeado cardeal presbítero pelo Papa Paulo VI, e chegou a ocupar cargos em onze congregações no Vaticano. Chegou a ter o nome cogitado entre os candidatos a Papa, depois da morte de João Paulo I. 

Em 13 de março de 1971, foi nomeado para a Arquidiocese do Rio de Janeiro, função que exerceu até 2001, quando sua renúncia foi aceita, devido aos 80 anos de idade.

A Arquidiocese informou que, nos últimos dias, a rotina de Dom Eugenio, que não possuía nenhuma enfermidade grave, limitava-se entre o quarto e no gabinete, onde lia jornais e assistia à TV.

*Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: dom eugênio salesarcebispocardealigreja católica

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG