Associação faz protesto no centro do Rio contra mortes de pescadores

Dois pescadores desapareceram no dia 22 e foram achados mortos na Baía de Guanabara nos últimos dias. Entidade reclama ainda que dois membros foram assassinados em 2009 e 2010 e casos não foram esclarecidos

iG Rio de Janeiro |

A Associação Homens e Mulheres do Mar (Ahomar), que representa pescadores artesanais de sete municípios banhados pela Baía de Guanabara, fez um protesto na tarde desta sexta-feira (29), no centro do Rio de Janeiro, pedindo esclarecimentos pelas mortes de duas lideranças da unidade ocorridas nesta semana.

Os pescadores Almir Nogueira de Amorim e João Luiz Telles Penetra, o Pituca, desapareceram quando saíam para pescar na última sexta-feira (22).

O corpo de Almir foi achado no domingo (24), amarrado junto a um barco submerso próximo da praia de São Lourenço, em Magé, na Baixada Fluminense. Já o corpo de Pituca apareceu no dia seguinte, com pés e mãos amarrados, próximo a São Gonçalo. Ambos os casos estão sendo investigados pela Polícia Civil.

A Ahomar informou que o seu presidente, Alexandre Anderson, presidente da associação, teria sofrido seis atentados e recebe ameaças de morte constantemente.

A entidade revelou ainda que outros dois pescadores vinculados à associação foram assassinados em 2009 e 2010 e os casos ainda não foram esclarecidos. 



    Leia tudo sobre: pescadoresmortes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG