Placas e cartazes anunciam proibição da venda de crack em favela do Rio

Proibição ocorre na comunidade do Jacarezinho, onde funcionava uma das maiores cracolândias da cidade

iG Rio de Janeiro | - Atualizada às

Divulgação/Rio de Paz
Placa na favela do Jacarezinho indica proibição da venda do crack

Placas e cartazes espalhados supostamente por traficantes na favela do Jacarezinho, na zona norte do Rio de Janeiro, onde funcionava uma das maiores cracolândias da cidade, estão anunciando a proibição da venda deste tipo de droga na comunidade.

O presidente da ONG Rio de Paz, Antônio Carlos Costa, afirmou que essa proibição deverá provocar uma migração dos usuários para outras partes da cidade e pediu ajuda das autoridades.

"Muitos destes usuários não têm dinheiro, pois são pobres, sem moradia fixa, expostos as consequências da abstinência, e correndo o risco de não serem bem vindos nos locais em que chegarem. Solicitamos que o governo acompanhe essa provável migração provendo acolhimento e ajuda para estes seres invisíveis dos grandes centros urbanos", afirmou.

A proibição da venda do crack se estende também para as vizinhas comunidades da Mandela e Manguinhos.

Procurada pelo iG , a Secretaria de Segurança Pública informou que ainda não tem a confirmação da proibição da venda do crack no Jacarezinho. A pasta explicou que está acompanhando atentamente a possível mudança de comportamento da facção criminosa Comando Vermelho (CV) em relação à comercialização deste tipo de droga.

    Leia tudo sobre: crackcracolândiajacarezinho

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG