PM atira em posto de gasolina e é preso com R$11 mil na cueca

Policial, que é namorado da funkeira Mulher Filé, teria disparado contra carro de jovens que ouviam som alto

iG Rio de Janeiro |

Reprodução
Yani de Simoni, a Mulher Filé, e o seu namorado, o cabo da PM Márcio Roberto Cunha Soares
Investigadores da 38ªDP (Brás de Pina) vão recolher as imagens feitas pelas câmeras do posto de gasolina onde, na madrugada do último domingo (3), o cabo da Polícia Militar Márcio Roberto Cunha Soares foi preso após atirar contra os pneus de quatro carros, em Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio.

De acordo com a polícia, as imagens podem ajudar a entender o motivo do PM ter atirado contra os pneus dos veículos. Segundo testemunhas, ele teria se irritado com o som alto de um dos carros já que atirou contra o som de um dos automóveis. Ninguém se feriu.

Leia também : Mulher Filé sofre sequestro-relâmpago

Ao ser abordado por policiais do Bpchoq (Batalhão de Choque), que faziam uma patrulha nas imediações do posto, ele resistiu à prisão. Os agentes tiveram que atirar para o alto, como forma de advertência para Soares largar a arma. Na revista, os PMs descobriram que o cabo tinha escondido na cueca R$ 11.650.

Na delegacia, em depoimento, Soares disse que o dinheiro pertencia ao cachê de um show da sua namorada, a funkeira Yani de Simoni, conhecida como Mulher Filé. Ela confirmou na delegacia a versão apresentada por Soares, mas não entregou nenhum recibo para retirar a quantia. 

De acordo com a polícia, o cabo não tem porte de arma. Ele vai responder por desobediência, disparo de arma de fogo, dano qualificado e porte ilegal de arma.

Leia também : Bandidos assaltam escritório da funkeira Mulher Filé no Rio

O policial foi levado para o Batalhão Prisional, onde ficará preso durante as investigações. Ainda segundo a polícia, o cabo se envolveu em outras duas ocorrências. Uma em 2006, por lesão corporal e concussão, quando a pessoa exige alguma vantagem em razão da função que exerce, e a outra no ano passado, por prevaricação, quando o funcionário público deixa de cumprir sua obrigação para satisfazer um interesse pessoal.

    Leia tudo sobre: mulher filétirospolicial militarviolência

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG