Em cerimônia com prefeito e ministra do Meio Ambiente, aterro sanitário em Caxias é fechado simbolicamente, com cadeado

Renata Marques mostra ursinhos que achou no lixo. Gramacho fechou neste domingo
Isabela Kassow
Renata Marques mostra ursinhos que achou no lixo. Gramacho fechou neste domingo
Às vésperas da realização da Conferência Rio+20 (Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável) , o Aterro Metropolitano de Gramacho, conhecido como o “lixão de Gramacho”, em Duque de Caxias (Baixada Fluminense) fechou as portas em definitivo neste domingo (3), após 34 anos de operação.

Prefeito Eduardo Paes fecha o lixão de Gramacho, após 34 anos
João Paulo Engelbrecht/Prefeitura Rio
Prefeito Eduardo Paes fecha o lixão de Gramacho, após 34 anos
Leia mais: Urubus e mala de dólares: realidade e mito nos últimos dias de Gramacho

As atividades foram encerradas oficialmente pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, e pela ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, ao lado de catadores, em um trator.

Leia também: Tecnologia inédita no País varre todo o lixo do Rio para cima do tapete

Em uma cerimônia, os dois assistiram ao último “vazamento de lixo” no local e, em seguida, cobriram o local com argila e colocaram uma corrente com cadeado, fechando o acesso ao aterro.

Leia ainda: Relembre como o lixo tem sido retratado nas telas e nos palcos

Gramacho dará lugar a usina de biogás, que transforma metano em gás para a Reduc

“O Rio não vai mais admitir violências contra o meio ambiente como foi este crime ambiental aqui”, disse o prefeito.

A ministra disse que o Rio de Janeiro vai fechar todos os aterros do entorno da Baía de Guanabara e que isso representa um verdadeiro “avanço” para a área ambiental e para o País.

Leia: CSN manteve quatro lixões tóxicos clandestinos por duas décadas

Solo recebe última camada de argila sobre a segunda manta de polietileno no aterro que substituirá Gramacho
J.Egberto
Solo recebe última camada de argila sobre a segunda manta de polietileno no aterro que substituirá Gramacho
Gramacho deixa de receber lixo do Rio e de Duque de Caxias.

A prefeitura instala no lugar a Usina de Biogás, que pretende transformar o metano da decomposição do lixo em “gás verde”, a ser vendido para a Reduc (Refinaria Duque de Caxias), da Petrobras.

O material será usado como substituto do gás natural, para fins energéticos.

Leia ainda: Vazamento de resíduos da CSN atemoriza bairro em Volta Redonda

O lixo antes levado para Gramacho passará a ser depositado na Central de Tratamento de Resíduos, CTR Rio, em Seropédica, o mais moderno da América Latina.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.